sábado, 18 de julho de 2009

Som & Fúria - Episódio 8


E eis que um novo ciclo inicia-se em Som & Fúria. Todos os problemas que Dante tinha quando decidiu assumir Hamlet parecem lembranças de outra vida, quando ele tem que lidar com um bloqueio ao assumir Macbeth. E nesse novo ciclo muitas novas histórias, novos personagens e muito, MUITO, mais humor.

Quando assisti ao episódio de ontem, tive medo do que o futuro da série nos reservava, já que parecia que tudo o que ela tinha já nos fora mostrado. Mas ela tem muito mais a mostrar, e esse oitavo episódio é a prova disso. Eu gostei muito desse episódio, foi leve, divertido, ágil, interessante e com excelentes atuações. Som & Fúria mostrou que ainda tem fôlego para os próximos 4 episódios.

Tenho que assumir que Ricardo está se tornando meu personagem favorito. Dan Stulbach é sensacional e conseguiu transferir todo o seu talento para um dos personagens mais caricatos da série. E por ser tão caricato, tinha tudo para dar errado. Não deu. Enquanto Dante começou o episódio meio apagado, Ricardo roubou a cena. Não teve nenhuma das cenas dele que eu não tenha rido muito. Sua cena em Brasília, no Ministério da Cultura, chamando a mulher de Ministra e discutindo a verba do Teatro e a malária foi hilária. Mais hilária ainda foi a cena em que ele vai ao escritório de publicidade, que não faz publicidade. Dan fez um trabalho perfeito ao montar a personagem, Ricardo tem todo um jeito de agir, de se vestir, uns trejeitos que fazem do personagem um dos mais engraçados da série, aliado ao excelente roteiro então, é o casamento perfeito.

Ana também tava excelente estressada. Ri muito da sua cena com a estagiária e com o casal que pegou a folha pra fazer “sedinha”. Cecília Homem de Melo é a maior revelação dessa série, e os últimos dois episódios, onde sua personagem apareceu menos, conseguiu fazer falta. Num elenco sensacional como esse, fazer falta é um privilégio para poucos.

Com esse novo ciclo, vieram novos personagens. Daniel Dantas é Henrique Amado, renomado ator contratado para viver Macbeth. Tirando o monólogo que ele fez, não achei nada de excepcional. Foi uma boa apresentação, só. Mas acho que o personagem ainda tem mais a mostrar, e Daniel é talentoso o bastante para brilhar no já excelente elenco. Gostei bastante do Sanjay, personagem do Rodrigo Santoro. É um ator fantástico com um texto fantástico, não tinha como fazer feio. Fez o que lhe foi oferecido de forma única, e marcou a sua passagem pela série de forma positiva.

E por falar em excelentes atores, não se pode deixar de citar as participações especialíssimas de Fernanda Montenegro e Wagner Moura. Dois atores do mais alto nível participando da série só a enriquece mais. Mesmo que tenham sido participações rapidíssimas.

Na última review revelei meu medo do casal Dante e Ellen, mas eu até gostei do que foi apresentado hoje. Os dois não perderam parte da magia e humor porque estão juntos. Claro que preferia eles brigando, mas já que estão juntos, que continuem assim, com cenas como a discussão sobre a Lady Macbeth e o “alô” que Ellen mandou ao Oliveira.

E por falar no Oliveira, o fantasma dele está de volta. Acho ótima a dinâmica dele com o Dante, e todas as cenas do episódio de hoje mostraram isso. As constantes discussões sobre o Teatro e a peça entre os dois são ótimas e enriquecedoras. São dois gênios dividindo suas opiniões sobre clássicos do Teatro, e quem ganha somos nós, que temos a honra de assistir a essa produção.

Para finalizar, a última cena. Eu iria querer participar da primeira leitura de texto de todas as peças da Cia. De Teatro, pois são sempre engraçadíssimas. Dante enrolando para explicar a peça e as provocações de Oliveira ao Dante foram ótimas. E ainda mais hilário foi o Dante imitando o Oliveira.

Agora é aguardar, porque Macbeth vem aí, e quais surpresas “a maldição” da peça nos esperam?

TRILHA SONORA: Malhação 5 e 6

Malhação 98


01. GAROTA DOURADA - Jheremmias Não Bate Corner (tema de Alice)
02. VAPOR BARATO - O Rappa (tema de Escova)
03. ALL KINDS OF PEOPLE - Big Mountain
04. CUIDADO COM PESSOAS COMO EU - Cris Braun (tema de Rui)
05. VAI SER VOCÊ - Mr. Jam (tema de Bruno)
06. THE DIARY - Neil Sadaka (tema de Cacau e Barrão)
07. NAMORO - Ricardo Chaves (tema de Tatuí)
08. LUA - Márcia Freire (tema de Dulce)
09. MASCATE - Nepal (tema de Picolé)
10. CALIFORNIA DREAMING - High Jinx
11. QUIT PLAYING GAMES (WITH MY HEART) - Two 4 U
12. VAI VAI VAI - Maskavo Roots
13. A VIDA TEM DESSAS COISAS - Mr. Soul (tema de Beto)
14. SURFER GIRLS - The Beach Boys


VAPOR BARATO - O Rappa


Malhação Radical


01. PEGA LEVE - Muamba (tema de Tadeu)
02. A NOITE - Lobão
03. COME ANYTIME - Hoodoo Gurus
04. A MINHA MENINA - Tequila Baby
05. HELOÍSA, MEXE A CADEIRA - Vinny
06. PINK - Ultra Red (tema de Bruno)
07. HOW IT'S GOING TO BE - Third Eye Blind (tema de Érika e Bruno)
08. PROIBIDA PRÁ MIM (GRAZON) - Charlie Brown Jr. (tema de Escova)
09. GAROTAS DO BRASIL - Papas da Língua (tema de Isa)
10. ALL FOR YOU - Master Clock
11. ANTES QUE SEJA TARDE - Pato Fu (tema de Alice)
12. HIP HOP RIO - Planet Hemp
13. VAMO FALÁ! - PMC & DJ Deco Murphoy
14. MY BONNIE - Ultraje à Rigor


PROIBIDA PRÁ MIM (GRAZON) - Charlie Brown Jr.

Som & Fúria – Episódio 7


Em um episódio de narrativa irregular, cheia de altos e baixos, Som & Fúria encerra um ciclo, e mergulha afundo nas personalidades das personagens para criar uma base para o novo ciclo que se aproxima.

O que mais me surpreendeu em Som & Fúria, até agora, foi a agilidade com que tudo aconteceu até aqui. Imaginei que a estréia de Hamlet, o sucesso de Dante e as resoluções dos conturbados relacionamentos da série seriam coisas que só veríamos nos últimos episódios e enganei-me. Já no 6º episódio parte dessa trama já foi resolvida, e no episódio de hoje, questões remanescentes foram resolvidas. E tendo apenas essa função, o episódio acabou tendo uma narrativa mais lenta, que pode não ter agradado a todos.

Eu mesmo, durante grande parte do episódio, não estava agradado com o que via. A série já mostrou que tem muita capacidade para criar tramas interessantes, e até o primeiro comercial ela não mostrava isso. Parecia que girava em torno de si, sem sair do lugar, mostrando questões que já haviam sido levantadas em episódios anteriores. A partir do segundo bloco, as coisas melhoraram.

O episódio não me agradou muito. Esperava que houvessem mais dicas do que a série reserva nos próximos episódios, mas isso não aconteceu. Só sabemos que a próxima peça será Macbeth, e nada mais. Mas mesmo frustrado quanto a essa expectativa, acabei sendo recompensado com as tramas pessoais dos personagens. É ótimo ver Andrea Beltrão dando vida à amargurada Ellen, principalmente quando esta deixa seus sentimentos aflorarem.

Kátia e Jacques também estiveram na trama central do episódio, infelizmente, pela última vez. A história do casal foi finalizada nesse episódio e acredito que eles não apareçam mais na série, a não ser para uma participação. Mesmo ficando triste pela perda do meu casal preferido da série, fiquei feliz pelo jeito como o relacionamento deles foi tratado no episódio, com o sofrimento de Kátia em decidir-se entre a carreira e o amor. Mas como lhe disse Ellen, “A gente pode interpretar a Julieta ou ser a Julieta”, e Kátia decidiu ser a Julieta.

Como disse antes, Jacques e Kátia espelhava-se em Dante e Ellen. E se o primeiro casal conseguiu se acertar, já era hora do segundo fazer o mesmo. Ellen utiliza o seu próprio conselho para assumir o controle da sua vida, e não só dar vida às personagens. Dispensa o Cléber e se entrega para o Dante. Estou intrigado sobre esse relacionamento. A primeira parte da temporada foi movida pelo conturbado relacionamento dos dois, agora que estão em sintonia, sinceramente, não sei o que esperar.

E não sei se era o clima “Season Finale”, mas até o Cléber me agradou hoje. Seu jeito infantil de pedir a Ellen em casamento e a sua dança na festa me fizeram rir muito. Mas não tanto quanto o seu parceiro de dança, Ricardo. Ele passou o episódio todo bêbado, e conseqüentemente hilário. Não consegui parar de rir em nenhuma de suas cenas. Outras duas passagens divertidíssimas do episódio foram: a cena entre Dante e Naum conversando sobre Macbeth no Teatro e quando Dante conversava com Ricardo, e este revelou a ele que sentia-se mal pelo Oliveira, ao que Dante responde: “O Oliveira tá bem, eu falo com ele todo dia”. Foi sensacional.

Falando em Oliveira, desde o episódio anterior que ele não aparece muito, o que é uma pena, já que Pedro Paulo Rangel enriquece ainda mais a série.

Com o fim desse primeiro ciclo da série, é como se no próximo episódio iniciasse uma nova temporada. Acredito que não voltaremos a ver Maria Flor, Daniel de Oliveira, Regina Casé, Paulo Betti, Maria Helena Chira e Haydée Bittencourt (Kátia, Jacques, Graça, Oberon, Clara e Milu). Em compensação, o elenco será renovado e entrarão Rodrigo Santoro, Daniel Dantas, Débora Falabella, entre outros.

Alessandra Negrini e Marcello Antony confirmados em novela das 20h


Alessandra Negrini e Marcello Antony voltam ao horário nobre da Globo no segundo semestre de 2010. Eles estão confirmados em Passione, de Sílvio de Abreu, que estreia depois de Viver a Vida, de Manoel Carlos.

Vão dividir a cena com Fernanda Montenegro, Tony Ramos, Reynaldo Gianecchini, Sérgio Brito, Mariana Ximenes, Francisco Cuoco, Irene Ravache, Cleyde Iáconis, Cauã Reymond, Debora Falabella e Aracy Balabanian.

A trama tem um núcleo de italianos, da região da Toscana (Itália), que vai interagir com os brasileiros. Direção de Denise Saraceni.

Espiritualidade será tema da próxima novela de Walcyr Carrasco


"Caras e Bocas" ainda nem acabou e autor de novelas Walcyr Carrasco já está pensando em seu próximo projeto. Ele não revelou muitos detalhes da nova produção, mas deixou escapar algumas informações ao jornal "O Globo".

Seu novo projeto deve ter como tema central a espiritualidade e, segundo o autor, a atração é bem adequada para ir ao ar às seis da tarde. Para este mesmo horário, ele já escreveu "O Cravo e a Rosa", "Chocolate com Pimenta"e "Alma Gêmea".

Enquanto estava na África do Sul, país o qual visitou à procura de locações para a atual novela das sete, a trama do novo folhetim foi surgindo para Walcyr. "A história veio inteira na minha cabeça durante o sono", revelou.

Audiência de quinta (16/07)


Senhora do Destino - 23

Malhação - 25

Paraíso - 29

Caras & Bocas - 34

Caminho das Índias - 41

A Grande Família - 33

Som & Fúria - 16

Promessas de Amor - 8

Poder Paralelo - 10

Louca Família - 8

Vende-se um Véu de Noiva - 5

"Caminho das Índias" vai virar tema de programa da CNN


A maior emissora de notícias do mundo, a CNN, mandou uma equipe de repórteres para acompanhar as gravações da novela “Caminho das Índias” nesta sexta (17) no Rio.

De acordo com o colunista Ancelomo Goes, do jornal O Globo, a reportagem mostrará como a autora Glória Perez utiliza o merchandising social em suas telenovelas. A matéria será exibida no programa “Vital Signs” e mostrará a participação dos atores Bruno Gagliasso e Sidney Santiago num desfile da gride “Das doidas” num hospital psiquiátrico de São Paulo. Na trama, os dois atores vivem personagens que sofrem com a esquizofrenia.

Glória Perez sempre retratou temas sociais em suas novelas. Em “América”, a autora mostrou como é o dia a dia dos deficientes visuais. Em “Explode Coração”, a trama retratou o sofrimento das mães que lutam para reencontrar seus filhos desaparecidos.

SESSÃO CHAMADAS: O amor está no ar

Globo cancela participação de Jesus Luz e de Fábio Assunção em minissérie


Jesus Luz, o suposto namorado brasileiro de Madonna, não estará no seriado “Cinquentinha”. O modelo faria o papel do amante de Marília Gabriela, mas não foi aprovado. Quem também deve ficar fora da produção é Fábio Assunção. A poucas semanas do início das gravações, seu nome ainda não foi confirmado.

Segundoi informações do jornal Extra, a presença de José Wilker está garantida na pele de Claus, um roteirista bon vivant. Luís Mello é outro ator confirmado no elenco. “Cinquentinha” tem previsão de estreia para o fim de setembro.

Globo define estreias do segundo semestre


A grade do segundo semestre da Globo está fechada, com estreias como “Ó paí ó”, “Norma” e a nova temporada de “Por toda minha vida”.

Segundo informações do jornal O Globo, agora, Manoel Martins, diretor geral artístico da emissora, está cuidando dos especiais de fim de ano.

Bela, a feia: Record define o tema da Trama


O tema musical da abertura de ‘Bela, a Feia’, foi definido nesta quinta-feira (16/07) pela TV Record. A música tema vai ser interpretada por Roger Moreira, do grupo ‘Ultraje a Rigor’. Com estreia marcada para Agosto, a música vai levar o mesmo nome da novela e foi composta especialmente para a trama pela dupla Mauro e Maurício Gasperini.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Audiência de quarta (15/07)


Senhora do destino - 24

Malhação - 24

Paraíso - 28

Caras & bocas - 34

Caminho das Índias - 42

Som & Fúria - 11

Promessas de Amor - 9

Poder Paralelo - 11

Vende-se um véu de noiva - 6

Bomba: Site revela que Láuro Cesar Muniz irá assinar com o SBT após término de "Poder Paralelo"


Não foi só Tiago Santiago que recebeu convite para trocar a Record pelo SBT. Lauro César Muniz também foi convidado pelo diretor Del Rangel para trocar de casa. Lauro, que assina ‘Poder Paralelo’, aceitou, mas só quando a novela terminar em janeiro. Uma fonte garante que a emissora de SS ainda não está comprando terreno para construir uma cidade cenográfica no Rio: “Mas o futuro pertence a Deus e a Silvio Santos!”, disse.

SESSÃO BEIJO: Renascer

Review: Amorais – 01×03


Cada vez que assisto a série, acho que Fernando precisaria mais de tempo além dos vinte e poucos minutos de duração de cada episódio. As situações são colocadas parecendo que estamos em um grande videoclipe.

Enquanto a ex de Fernando e a vítima gay do primeiro episódio estão querendo se vingar do cara de forma original (exigindo que Fernando leve para Belo Horizonte cocaína que vale R$ 60.000), os agiotas do qual ele pegou dinheiro emprestado e não devolveu roubaram a valiosa carga, deixando ele, Karina e sua filha em sérios apuros.

Situações bizarras acontecem, como uma mulher pelada aparece morta do nada na cama de Fernando e ainda não sabemos que foi o autor desse crime. E mais uma vez a dupla de vigaristas amadores tem uma idéia “genial” para se livrar do corpo: sair por aí com o cadáver fingindo que a moça está apenas se sentindo mal e deixar o corpo em uma balada qualquer.

Até agora, a trama apresenta um enorme quebra cabeças com peças que não faz muito sentido até agora e algumas situações, como a obsessão de Karina por Giane Albertonni mostrada na semana passada foram deixadas totalmente de lado.

Pelo menos uma resposta foi dada: ficamos sabendo que o homem que aparece na primeira cena do seriado deitado no chão tentando impedir Karina de ir embora é o marido dela. Tanto ele e Beto Valadão, o pai da moça, ficam sabendo do paradeiro de Karina por causa de um ensaio que ela fez para a revista Caras (nem me pergunte de onde saiu isso) e vão atrás dela por diferentes motivos: enquanto o marido quer vingança, o pai achava que a filha ficou rica por ter aparecido em uma revista de celebridades.

Como Fernando Ceylão prometeu, Amorais está apresentando algumas pitadas de Lost no quesito de lançar várias situações que a princípio estão totalmente soltas. Mas a grande questão é: será que ele terá competência de conseguir amarrar tudo até o final e nos apresentar uma versão brasileira do We have to go back?

9mm: São Paulo chega em livro


A série brasileira 9mm: São Paulo, da Fox, expande suas histórias e chega em livro. Ele já pode ser encontrado nas livrarias com o preço médio de R$ 25,90.

Sinopse
A vida se resume a sexo e violência, define um dos policiais. Ao fim e ao cabo, quem matou pode ser não mais que um pretexto para se compreender a angústia da vida. Em 'O Sorriso da Morte' um lance de humor pode aparecer durante a mais repugnante violência. Um diálogo irônico pode nos fazer rir diante de corpos retalhados. E quando tudo parece caminhar com leveza é apenas o sinal de que mais uma queda está para acontecer.

Autores aprovam saída de Tiago Santiago


Nesta terça-feira, a Record começou a convocar seus autores e diretores para renovar seus contratos. Segundo a coluna Controle Remoto, do jornal O Globo, o movimento foi motivado pela ida de Tiago Santiago para o SBT. Entre os escritores da Record, a mudança de Santiago foi vista com bons olhos. “Ele barrou os projetos de muita gente”, afirma uma fonte. “Quando a Record fez com ele o que faz com todos, que é mudar a grade sem aviso, se aborreceu. Mas Tiago apoiava este tipo de estratégia quando ela não afetava uma produção sua”.

Salário
Em fevereiro de 2008, Tiago disse à Veja Rio que seu salário ficava “na faixa de R$ 175 mil”. Na época, a declaração deixou desconfortáveis colaboradores que recebiam entre R$ 5 e R$ 7 mil. No entanto, o autor contou ontem à Folha de S.Paulo que seu vencimento na Record era de R$ 60 mil, com adicionais em caso de boa audiência.

Prejuízo
Nos bastidores da Record, comenta-se que a trilogia de Tiago Santiago, desde Caminhos do Coração até Promessas de Amor, se constitui no maior prejuízo da história da teledramaturgia brasileira. Segundo a coluna Canal 1, os gastos foram muito maiores que o faturamento.

Resposta de Tiago
A respeito de nota de ontem, sobre o prejuízo das suas novelas na Record, a resposta de Tiago Santiago: "como uma novela que ficou na liderança tanto tempo e chegou a botar 27 pontos no horário das 21h pode ser prejuízo? Por que fizeram três temporadas e ficaram dois anos no ar? A partir de 2004, com minha ida para lá, a Record cresceu, atingiu picos perto dos 30 pontos e fez várias novelas de sucesso com minha consultoria. Agreguei muito valor à marca da Record, que passou ao segundo lugar no ranking das emissoras, graças às novelas. Pretendo agora que o SBT volte a ocupar a vice-liderança, através de uma nova era de novelas brasileiras de sucesso".

Caminho das Índias: Raul vai virar catador de lixo na Lapa


Ao chegar ao Brasil, Raul, personagem de Alexandre Borges em "Caminho das Índias", começará a trabalhar como catador de lixo na Lapa. Será naquele bairro que o personagem se esconderá e, segundo o ator, "passará por um verdadeiro calvário".

- Acho que o sofrimento dele também significará a sua redenção. O Raul vai ao fundo do poço, vai sofrer na carne por todo o mal que causou - diz Alexandre. - E tem que ser assim, até para ele se tornar um homem melhor.

O ator acha que Raul precisa pagar pelo que fez, que não foi pouca coisa: se fingiu de morto, fazendo a família sofrer com isso, e passou a usar uma identidade falsa, a de Humberto Cunha, para viver em Dubai.

- Ele precisa experimentar na pele o sofrimento que causou às pessoas que o amam - avalia. - Acho que ele vai ser odiado por todos os seus familiares e amigos. Mas, na minha opinião, Raul tem um desvio psicológico, um angústia existencial muito grande, o que aliás é comum no mundo moderno. A Yvone (Letícia Sabatella) representou uma ilusão para ele, a de que a vida poderia ser de um jeito assim, sem compromisso com nada. Mas isso não existe.

Pelo Avesso: Globo grava novela no Maranhão


As gravações de “Pelo avesso”, nova novela das 18h da Globo, começaram em Lençóis e nos Pequenos Lençóis, no Maranhão, sob o comando de Ricardo Waddington. Carmo Dalla Vecchia, Marcos Palmeira e Isabella Garcia estão lá. Para chegar à locação, é preciso rodar horas de carro, seguir de quadriciclo e depois a pé. Eles gravam em meio a dunas, informa o jornal O Globo.

A equipe de 30 pessoas capitaneada por Ricardo Waddington seguirá dentro de alguns dias para o Rio Grande do Norte. No Maranhão, eles têm o apoio de 50 profissionais locais e a Globo montou uma megaestrutura.

Vale lembrar que estas cenas da novela seriam na Bolívia e no Chile, mas tiveram de ser transferidas por causa da gripe suína. Waddington chegou a passar um mês lá levantando locações.

SESSÃO CENA INESQUECÍVEL: A Próxima Vítima

CD chega às lojas no dia da estreia da série global Ger@l.com


Quando Ger@l.com estrear na Globo, no dia 20 próximo, vai chegar às lojas o CD com a trilha sonora da atração. O disco, que será lançado pela Som Livre, conta com 13 faixas, todas cantadas pela banda WWW, formada por jovens de classe média do Rio.

O grupo, formado por Xande Werneck, de 15 anos, Luke Werneck, de 13, João Werneck, de 17, Mateus Werneck, de 13 e Pedro Werneck, de 15, afirma que ainda não está preparado para o sucesso.

“Nós já tocamos em Santa Catarina, São Paulo e Ceará. Sabemos que temos fãs pela internet, porque fizemos um perfil no Myspace e outro no Orkut. Mas, a gente não sabe como vai ser quando o programa estrear. Nós não estamos preparados para o sucesso”, afirmou Xande, durante a coletiva de imprensa que aconteceu segunda-feira (13), no Projac (Rio).

Audiência de terça (14/07)


Paraiso - 29

Caras & Bocas - 33

Caminho das Índias - 43

Som & Fúria - 19

Promessas de Amor - 8

Poder Paralelo - 13

Som e Fúria termina dia 24


A série Som & Fúria , da Globo, fica no ar até dia 24. Na sexta-feira seguinte, 31, o horário será ocupado por Decamerão.

Série em quatro capítulos, que reúne no elenco Deborah Secco, Leandra Leal e Lázaro Ramos, entre outros.

E não faltam estreias na Globo: dia 30, quinta-feira, a emissora exibe o reality No Limite, com apresentação de Zeca Camargo. No ar sempre às quintas e domingos.

Som & Fúria - Episódio 6


“A brevidade é a alma do entendimento” (Shakespeare). Noutra das reviews-relâmpago que você só encontra no SérieManíacos, vou substituir meu amigo Thiago Leal apenas por hoje – vamos, vocês e eu, conversar sobre o mais novo episódio de Som & Fúria, a minissérie brasileira mais popular da atualidade.

Assistindo ao início da exibição com a estréia de Hamlet, tenho de confessar que fiquei um tanto quanto desapontado. Embora tenhamos visto as cenas do episódio seguinte na quinta-feira passada e mesmo sabendo que os últimos momentos da minissérie tinham mostrado o ensaio derradeiro, fiquei incomodado com essa peça sendo apresentada já nesse instante. Queria, talvez, ter visto um ensaio improvisado na calada da noite, um aproveitamento de umas vielas da cidade com o som de violoncelos ao fundo, as luzes dos postes sendo usadas como luzes de palco… E transeuntes como figurantes de elenco.

Pausa. Momento Shakespeare-Bach. Voltando.

Não adianta chorar sobre o leite derramado, adianta? Então temos que analisar a exibição da peça e o episódio como nos foi mostrado. Embora eu curta a dupla do Rá-Tim-Bum, os dois parecem repetir a mesma fórmula usada para o primeiro diálogo exibido na minissérie. Me soa como se dissessem a mesma coisa sempre, sem mudar nada. Sempre há uma entonação no fim de certas frases, sempre uma inclinação do timbre para cá ou para lá. Outro problema enorme é que eu queria ver o Gero Camilo entrando em erupção, como um Vesúvio interpretativo. Mas esse papel não permite!

Sobre interpretação, ainda: sou ator há quase dez anos e sei que uma série de princípios precisam orientar o intérprete na sua performance. Um deles é a percepção do espírito do autor, que muitas vezes se traduz em certas técnicas de dicção e postura. Shakespeare é um dos autores que normalmente são declamados em sentenças monotônicas (ou seja, em frases contínuas no mesmo tom). Mesmo assim, eu queria ver mais fibra nessas interpretações! Ênfase e subidas e descidas em certos e singulares momentos, ainda que por milésimos de segundo. O Paulo Betti fez o que pôde nos instantes que teve em cena, mas ainda não me foi o suficiente para apagar essa impressão geral.

De resto, a interação entre a Kátia e o Jacques me pareceu mais verídica nesse episódio, particularmente depois do pulo dos 3 meses (o que pode não ter agradado a muitos telespectadores). Apesar de esse romance parecer meio sambado, essa atriz tem uma simpatia contagiante – é difícil não gostar de ver cenas com ela. Por outro lado, eu confesso que esperava um pouco mais da Regina Casé naquela fechada de porta do Ricardo, personagem do Dan Stulbach. Esperava que ela subisse a entonação um pouquinho na primeira sensação de “traição” do Ricardo, que dosasse um pouco mais de surpresa àquela irritação que apresentou.

Finalmente, duas coisas que curti nesse episódio foram a persistência do Dante em se importar com os detalhes da peça até a última apresentação e a perspectiva de Macbeth num futuro próximo.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Review: Descolados - 1x01


Excelente o primeiro episódio de Descolados, que estreou nesta terça-feira (14/7) na MTV Brasil.

O piloto atendeu minhas expectativas, que eram altas. Afinal, a atração é realizada em parceria com a Mixer, a mesma produtora da excelente Mothern, duas vezes indicada ao International Emmy Awards.

Descobrir, logo no primeiro episódio, que Descolados não tem nada a ver com a gíria foi ótimo. Eu ando cansado de hypes e de todas as coisas mais bacanas de todos os tempos da última semana.

Descolados mostra três jovens de 20 e poucos anos arrancados a fórceps de suas rotinas e que despencam, sem pára-quedas, na vida adulta.

Lud (Renata Gaspar) termina a faculdade e sai da casa dos pais. Teco (Thiago Pinheiro) foi deportado de Londres (Inglaterra) por causa de um baseado. Felipe (Marcelo Lourençon) é um modelo abandonado pela namorada e com dúvidas sobre sua carreira.

Há identificação com os personagens, algo raro em produções nacionais, ainda mais as voltadas aos jovens (vide Malhação). Aliás, isso sequer acontece em séries como Gossip Girl, The Hills ou 90210. Se a rotina dos personagens dessas atrações já não é a realidade da maioria dos jovens norte-americanos, imagine dos nossos.

Ao não emular as séries gringas, Descolados acerta em cheio. Apostar em uma linguagem própria é fundamental para termos uma produção estabelecida de séries de qualidade e que façam sucesso.

É muito provável que você conheça algum Teco, Felipe ou Lud. Também poderiam ser meus amigos ou conhecidos. Olha que não sou de frequentar baladas, não moro mais em São Paulo e já passei dos 30 anos.

Em alguns momentos, Descolados lembra Alice, série da HBO exibida em 2008. Não só por seu apuro técnico, mas também por mostrar a transformação de jovens em uma cidade grande.

A primeira temporada de Descolados terá 13 episódios de 30 minutos. A série é exibida às terças-feiras, às 23h30, com reprises aos domingos (1h15 e 23h).

Ger@l.com estréia dia 20/07

Cinquentinha: Dalton Vigh fará participação na série


Aos poucos, os personagens da minissérie global Cinquentinha, de Aguinaldo Silva, vão sendo detalhados. Dalton Vigh foi reservador para a série.

Ele será Júlio, um médico que vai testemunhar o acidente que Daniel, interpretado por Tarcísio Meira, sofre. Daniel morre logo no primeiro episódio da trama. As informações são do jornal O Dia.

Leonardo Medeiros é escalado para próxima novela das 7


Depois de viver o prefeito Elias em “A Favorita”, da Globo, Leonardo Medeiros volta às novelas em “Bom Dia, Frankenstein”, título provisório da próxima trama das sete da emissora.

Na história, escrita por Bosco Brasil, ele será Ramon, um “coroa” roqueiro. “Fui convidado pelo José Luiz Villamarim”, conta o ator, referindo-se ao diretor da produção. “Pelo que li, achei o texto muito divertido. É tudo bem humorado, de uma maneira geral”, opina.

A história central gira em torno de dois edifícios modernos. Um deles é completamente monitorado por câmaras. O outro será construído ao longo dos capítulos. As gravações devem começar no dia 8 de agosto. O elenco conta ainda com Carolina Dieckmann, Antônio Fagundes e Grazi Massafera, entre outros.

Bela, a feia: Novela da terá casal gay


Os atores Daniel Erthal e Sérgio Menezes (ambos saídos da Globo) vão formar um casal gay na novela “Bela, a feia”. Segundo informações do jornal Extra, os dois vão dividir o mesmo teto na trama da Record.

Mas Diego, personagem de Daniel, também se envolverá com mulheres. João Camargo será outro gay na história. Ele poderá ser visto como o afetado Haroldo, dono de um salão.

Em tempo >>> A Record finalmente bateu o martelo e vai estrear “Bela, a Feia”, no dia 28 de julho. A data cai numa terça-feira, estratégia que já vem sendo adotada pelo canal em suas estreias na teledramaturgia.

Aline estreia em outubro


A Globo decidiu adiar a estreia da nova temporada de "Aline", que tinha estreia prevista para o final deste mês.

Segundo a coluna Canal 1, as gravações no Rio de Janeiro já chegaram ao fim. As próximas ocorrerão em São Paulo, onde Maria Flor, Pedro Neschling e Bernardo Marinho desembarcam daqui alguns dias.

Viver a Vida: Globo antecipa a estréia de sua nova novela


A estreia de Viver a Vida, da Globo, foi antecipada. A novela das oito, escrita por Manoel Carlos e que substituirá Caminho das Índias, estava prevista para ir ao ar em 21 de setembro, mas agora a data foi antecipada para o dia 14 do mesmo mês.

O Rei Roberto Carlos vai fazer parte da trilha sonora da trama, que tem Taís Araújo como protagonista. Será a primeira Helena negra de Maneco.

“Admiro muito o trabalho de Taís Araújo e nunca havia trabalhado com ela. Quanto a Roberto Carlos, o que posso dizer é que ele me ofereceu uma música para a novela, mas ainda não mandou a composição”, disse Manoel Carlos a O Fuxico.

TELETEMA: Pé na Jaca

Review: Amorais – 01×02


No episódio anterior, Fernando e Karina tentam dar um golpe em um gay, indo até a casa dele apenas para roubar a carteira do sujeito. Fernando também recorre a alguns agiotas para conseguir dinheiro para satisfazer a sua namorada.

Neste episódio, conhecemos a filha de Fernando que passa a morar com ele. Agora, além da namorada, tem que cuidar da menina. Agora que ele tem mais uma boca para alimentar, o golpe da semana será se passar por críticos de gastronomia na cidade e pedir para a dona pratos para ele poderem colocar na sua “coluna”. Logicamente, o plano dá errado e eles tem que sair correndo de lá.

Enquanto estão na mesa, Karina ouve a conversa entre Giane Albertoni e seu produtor sobre a procura de uma nova apresentadora para o programa da modelo. Karina vai ao teste e faz de tudo para conseguir o papel, até fazer o teste do sofá com o assistente, se é que você me entende. Mas Giane acha que ela foi a pior de todas as candidatas.

Mas os problemas vão se acumulando: a ex namorada e a vítima do golpe passado de Fernando continua atrás dele para se vingar, além dos agiotas querendo o dinheiro deles. O jeito é o protagonista pedir a grana para a mãe. O episódio termina com a ex e o gay ameaçando Fernando, sua filha e Karina.

Até o momento, a trama não está me empolgando. Enquanto a sinopse prometia que essa dupla de vigaristas aplicaria golpes de grandes proporções, até agora só teve planos mirabolantes para conseguir algo muito simples para tanto trabalho.

Não sei se é por causa do tempo (cada episódio tem pouco mais de 20 minutos de duração, contando os comerciais), mas tem algumas coisas que passam sem muita explicação, como por exemplo o motivo que faz nascer em Karina em ser igual à Giane Albertoni.

Já a atuação de Fernando Ceylão, o protagonista, é do tipo “naturalista” igual a Bruno Mazzeo com o seu Cilada. Mas aqui, ele não conseguiu arrancar sorrisos de mim em cenas cômicas e sim provocar vergonha alheia na cena onde ele se passa de amante do gay que ele deu golpe só para desmoralizá-lo.

Como na estréia, o gay e ex de Fernando fecham o episódio ameaçando Fernando. Como nesse vimos que não deu em nada, esse gancho foi muito fraco e não me deixou com vontade em saber como termina essa história. Dou nota 5 e torço para que o próximo faça a série finalmente decolar.

E Lá se Vão 30 Anos das Séries da Globo


Muita gente reclama que na tv aberta as séries passam muito tarde ou somente de madrugada, mas há boas razões para isso. Nos anos 1970 o horário nobre era dominado pelos enlatados, como eram denominadas, de modo pejorativo, as séries americanas. Duvidava-se muito da qualidade das produções exibidas, ainda que fossem grandes sucessos, e, por tabela, não se vi nada de nacional por ali.

O que aconteceu? Depois de tanta reclamação criou-se um projeto ousado de teledramaturgia na Rede Globo com a criação de suas primeiras séries com um formato que se aproximava de fato das importadas, naquele modelo de misto de continuidade de histórias com uma trama solo que iniciava e acabava em cada um dos episódios. Claro, antes, por exemplo, houve Ciranda Cirandinha, mas era quase uma minissérie do que uma série padrão.

Foi assim que em meados de maio de 1979 surgiram esses clássicos da televisão brasileira:

Na terça-feira, dia, 22 de maio, iniciou-se Carga Pesada, com Antônio Fagundes e Stênio Garcia, respectivamente como Pedro e Bino. É uma série até que conhecida por todos porque há pouco mais de três anos a sua continuação ainda estava no ar. Do grupo de séries estreantes essa com certeza era a mais brasileirinha por opção, por representar o Brasil em todos os seus cantos, embora a equipe de produção nunca tenha saído muito longe para gravar as cenas.

Na quinta-feira, dia 24 de maio, foi a vez de Malu Mulher, com Regina Duarte, no papel de uma socióloga que marcava a emancipação da mulher em si e da mulher na machista sociedade brasileira. Das séries essa era a de temática mais séria e densa, realista por assim dizer. E era constante a briga com a censura militar da época. Por ironia, Malu Mulher sofreu nas mãos de algo bem machista, os jogos dos amistosos da seleção brasileira, que sempre eram no mesmo dia de exibição.

Na sexta-feira, dia 26 de maio, o ciclo se fechava com Plantão de Polícia, com Hugo Carvana, vivendo o repórter Waldomiro Pena que cobria os acontecimentos da criminalidade carioca. Mesmo não sendo efetivamente uma série policial ela ainda é superior a muitas obras que foram feitas daquele tempo para cá, no que tange a violência e o crime urbano.

È fácil notar que não foram três séries casuais que foram lançadas nesse pacote. Elas retratam um Brasil interiorano, o urbano e o universo das idéias pessoais dos brasileiros, sobretudo as brasileiras. Com o passar das temporadas algumas mudanças ocorreram aqui e ali, mas a estrutura geral não mudou muito. Pena que em três anos todas já tinham sido encerradas. Elas só não conseguiram emular a longevidade das séries americanas que emplacam e às vezes perduram por quase uma década, com exceção de Carga Pesada, que retornou vinte anos depois, numa continuação.

Depois dessa experiência inicial, ficou provado que era possível produzir boas séries e não havia mais necessidade de se sustentar a audiência com os produtos vindo de fora e sem nenhuma identidade nacional. Claro que, para nós que gostamos de séries, a faixa das novelas poderia ter sido extinta e ser forrada de variadas séries. Infelizmente, isso é quase impossível de acontecer um dia.

Som & Fúria – Episódio 5


Já havia dito o sábio Naum no segundo episódio que “Hamlet vai continuar a ser esta tragédia inefável do espírito humano que ressoa entre nós até hoje”. E ao ver essa nova versão do clássico de Shakespeare criar seus contornos, Dante tem que deixar seu passado de lado para que possa prosseguir com o sonho de estrear a peça. É com essa simples sinopse que Som & Fúria nos apresenta o melhor dos 5 episódios já exibidos.

Foi um episódio simples e ao mesmo tempo grandioso. O roteiro certo, nas mãos dos atores certos, guiados por uma excelente equipe de produção brilhante. Nos situou na história e delineou o caminho que a série percorrerá. Talvez nem todos vão gostar do episódio, não foi um episódio com uma cena mirabolante, nem uma grande sacada do roteiro para nos fazer rir, nem um apelo muito forte para o sarcasmo. O humor da série estava ali, mas apenas como pano de fundo do desenvolvimento dos personagens principais.

Ao mesmo tempo em que a série usou desse recurso de basear-se na comédia para contar sua história (muito séria, por sinal), sua história usou Shakespeare como pano de fundo para nos mostrar duas histórias de amor, duas gerações diferentes, que precisaram achar um ponto em comum para que as resoluções surgissem e pudessem seguir em frente. E o ponto em comum entre essas duas histórias chama-se Hamlet.

Há 7 anos, no auge de suas carreiras como atores, Dante e Ellen faziam a citada peça de Shakespeare e estavam bem em suas vidas amorosas, mas esse equilíbrio entre a carreira e o amor não durou muito. Ao mesmo tempo em que sua interpretação era elogiadíssima, Dante tinha que lidar com “a traição” de Ellen. Sem o apoio da amada, Dante acabou cedendo a pressão e surtou, abrindo mão de sua carreira.

Nos dias atuais, Jacques e Kátia vivem um bom momento em seu relacionamento. Mas as coisas mudam quando o galã desacreditado e a substituta vêm a oportunidade de suas vidas logo em frente. Kátia consegue o papel de Ofélia e Jacques, sob pressão, encontra o ponto certo do seu Hamlet, mostrando que é capaz de ser fantástico quando mostra o seu talento. As pressões que Jacques tem ao lidar com a sua própria identidade (a mudança de um galã de novela para um ator digno de dar vida a Hamlet) o fazem ceder. Diferentemente do primeiro casal, o apoio que ele tem de Kátia é fundamental para ele encarar o seu destino e mostrar o seu talento.

O paralelo entre esses casais é o que movimenta a série, pois é o que vai definir se o espetáculo será um sucesso ou não. Na atual harmonia entre ambos os casais (vista no final do episódio) a peça só tem a crescer, se não esquecermos que Ricardo e Graça não querem esse crescimento, pois não querem o sucesso da série.

Aliás, os dois vilões caricatos estiveram no ponto exato nesse episódio. De um lado temos o “bobo” Ricardo antecipando a estréia da peça e atrapalhando os ensaios, e de outro temos a sempre hilária Graça pondo em prática seu mirabolante plano para tirar Milu da jogada (que por sinal, me fez rir muito).

Embora todo o elenco principal (e o de apoio) tenha brilhado nesse episódio, meus elogios hoje direcionam-se ao Daniel de Oliveira. Ao mostrar que o Jacques pode ser mais que.. o Jacques, ele explorou ao máximo o seu talento, já reconhecido desde o filme do Cazuza. Eu já tinha achado a sua interpretação na cena do ensaio no porão sensacional, mas quando eu vi o monólogo principal de Hamlet eu me arrepiei. Cena perfeitamente construída. Somente Daniel de Oliveira e a trilha sonora. Uma cena memorável.

Por falar em elenco, eis que Paulo Betti surge em cena… E era melhor que não tivesse surgido. Convenhamos que ele foi um figurante de luxo, sem nenhuma participação no episódio. Até o (péssimo) namorado da Ellen teve mais destaque no episódio que ele. Não sou fã do Paulo Betti, mas acho que se o personagem dele não for mostrar mais que isso, vai ser a pior humilhação de sua carreira. Interpretando o Rei Cláudio, acredito que ele tenha mais destaque.

Os já elogiados Felipe Camargo e Andrea Beltrão continuaram ótimos. E seus personagens, Dante e Ellen, roubaram a cena no episódio. O puxão de orelha que ele dá em Ellen logo no começo do episódio foi sensacional, a conversa dos dois no telhado na cena final foi sutil e incrivelmente bem interpretada. Até nos flashbacks eles arrasaram (inclusive, ri muito da Ellen tentando se matar comendo manga com leite).

Sabemos agora o caminho que a série irá tomar. Jacques e Kátia são um espelho de Dante e Ellen, e como pano de fundo temos Hamlet, responsável pelo fim de um casal e a união do outro. O sucesso aguarda a ambos os casais, mas para isso será necessário enfrentar Ricardo e Graça, que crescem cada vez mais.

Sendo a obra de Shakespeare sobre a profundidade da alma humana, nada é mais profundo nela que o amor, que pode surgir ou acabar em um encenação de Hamlet.

Review: Amorais – 01×01


A cena de estréia da série já nos mostra uma cena intrigante: Karina tenta entrar em um apartamento com o sujeito no chão, que de repente se levanta e tenta impedi-la de sair do local.

Mas logo depois, já corta para ela e Fernando, o protagonista tentando aplicar o seu primeiro golpe: o da comanda no restaurante a quilo. Com pouco dinheiro, os dois têm a brilhante idéia de comer muito pagando apenas com uma comanda, eliminando a outra no vaso sanitário do restaurante. Só que a loira não faz o serviço direito e a dona do estabelecimento pega os dois no flagra. E é assim que nos é apresentado o casal de golpistas do seriado.

Interessante notar que Fernando Ceylão (o criador e protagonista), colocou falas no roteiro que faz crer que ele e o seu personagem praticamente têm as algumas características em comum. O Fernando da série também está esperando o Canal Brasil aprovar a sua produção. Enquanto vemos Fernando e Karina andando juntos como namorados pelas ruas do Rio de Janeiro, descobrimos que o cara esqueceu de terminar com a sua namorada oficial em São Paulo. Logicamente que rola um barraco entre os três e finalmente ele dá um ponto final na relação de quatro anos com a moça.

O cara está numa situação financeira tão ruim que precisa recorrer a agiotas da rua para pedir alguma dinheiro emprestado para satisfazer a sua nova namorada com um tratamento completo no salão de beleza. E é lá que ela vê o tratamento diferenciado que a modelo Gianne Albertoni recebe por ser rica e famosa e começa a nutrir certa obsessão por ela.

A vítima do golpe da semana será um gay que Fernando conhece por engano enquanto espera Karina sair do salão de beleza. A loira tem a “brilhante” idéia de executar um plano de certa forma complicado para furtar a carteira do cara: Fernando vai ao apartamento do homossexual fingir que está a fim dele, enquanto Karina entra no lugar só para pegar o objeto. Depois de algum tempo, as coisas começam a dar errado e a ex de Fernando e o gay se unem para pegar a dupla de golpistas, criando o gancho para o próximo episódio.

Para mim, a série ainda não mostrou a que veio, mas teve alguns elementos pop prometidos pelo diretor antes da estréia, como a camisa e a action figure do homem aranha de Fernando e até o papo que ele tem com o gay sobre quem é o melhor: Robert de Niro ou Al Pacino.

Dá para notar que realmente a série não tem grandes investimentos (seja na produção ou na qualidade da imagem), mas isso não incomoda tanto por causa da história. Mesmo assim, dou uma nota 6 para episódio, para ele passar na média.

Destaques da quarta-feira, 15/7/2009


• Caminho das Índias. Globo, 20h50
A família de Opash quer marcar o quanto antes o encontro de Chanti com seu novo noivo. Mas a jovem só consegue pensar na viagem para atuar no filme de Bollywood. A produção do filme liga e avisa que a viagem foi marcada para o dia seguinte. Chanti corre para fazer as malas e conta com a ajuda de Camila.

A cunhada sugere que Chanti deixe a mala do lado de fora da casa para não correr riscos. Chanti concorda e decide dormir na casa de uma amiga para despistar a família. No dia seguinte, ela embarca com a equipe do filme. Camila dá um abraço apertado na cunhada e avisa que Chanti pode contar com a família dela: “No Brasil você vai procurar a minha mãe, a minha irmã...” Chanti diz que vai procurá-las e se despede, revelando que vai sentir muita falta de tudo.

• Som e Fúria: sexto episódio. Globo, 23h50
O Diretor Executivo quase fez com que o galã de cinema desistisse de tudo e deixasse Dante sem Hamlet na estreia. Mas, graças ao empenho de Kátia, Jaques se convenceu de que Ricardo tentou desestimulá-lo à toa.

Jaques arrasa na estreia e arranca aplausos fervorosos do público. Ricardo fica emocionado com a atuação do rapaz e enxuga lágrimas dos olhos.

• Amorais: terceiro episódio. Canal Brasil, 0h de quinta-feira
Um trio misterioso obriga Fernando a levar cocaína para Belo Horizonte. Enquanto a droga é roubada por agiotas, uma mulher é encontrada morta na cama do casal. A situação se agrava quando o ex-marido e o pai de Karina decidem ir atrás da moça, depois que sua foto com Gianne Albertoni é publicada.

• Os Normais: episódio O Grande segredo de Rui e Vani. Inédito no GNT, 23h30
Rui convence Vani de que Bernardo e Maristela não querem sair com eles, porque os acham caretas. O casal faz de tudo para provar que é moderno e acaba se enrolando, pois Bernardo acredita que os amigos são ETs.

terça-feira, 14 de julho de 2009

SESSÃO ABERTURA: Malhação 1998

Descolados: Primeira série de ficção da MTV estréia hoje


Antes que alguém tenha uma ideia errada sobre "Descolados", nova série da MTV que estreia terça-feira, às 23h30m, é bom avisar: o nome não tem nada a ver com a gíria. É para ser lido, e entendido, no sentido literal.

- É uma brincadeira, porque nós também não gostamos da gíria, dessa ideia de "hype". Usamos no sentido literal, pois os três personagens principais são descolados de suas vidas antigas, jogados numa nova realidade e não têm mais "cola" para voltar - explica Rodrigo Castilho, um dos idealizadores do projeto.

Assista à chamada de 'Descolados'
"Descolados" conta história de Lud, Felipe e Teco, três desconhecidos na faixa dos 20 e poucos anos que têm suas vidas viradas de cabeça para baixo do dia para a noite. O trio se esbarra num bar em São Paulo e acaba dividindo um apartamento. A série, com 13 episódios, traz dois marcos para a MTV: é a estreia do canal em ficção e a primeira parceria com uma produtora independente.

A ideia de produzir a série começou há dois anos, quando Castilho e Luca Paiva Mello, produtores da Mixer, ainda faziam "Mothern" para o GNT. Era desejo antigo dos dois falar sobre essa fase da vida, quando o adolescente começa a virar adulto. Mas a vontade era tratar do assunto de uma maneira própria, inspirada em seriados e filmes independentes americanos, como os de Cameron Crowe (de "Vida de solteiro" e "Quase famosos").

- O tema é bastante explorado na TV e no cinema americanos. Por aqui, só "Alice", da HBO, apresentou essa linguagem da maneira verdadeira que procuramos - avalia Mello, que, ao lado de Castilho, assina a produção, a direção e o roteiro de "Descolados".

O programa nasceu justamente quando a diretora de programação da MTV, Cris Lobo, procurava uma atração com a cara dos jovens brasileiros para exibir no canal.

- Eu tinha acabado de falar com o pessoal da Mixer que a MTV tinha interesse em comprar programas de produtoras independentes e eles me apresentaram a série. Acabei vendo o piloto e gostei de cara. Tem tudo o que a gente quer: novos talentos, sacadas bacanas e uma boa trilha sonora, com bandas pouco conhecidas - conta Cris, avisando que o canal quer investir mais em programas de ficção.

- A MTV americana manda muita coisa para nós. Mas a realidade de "Laguna beach"(reality que narra as aventuras de jovens ricos do condado de Orange County, na Califórnia), por exemplo, não é a dos jovens brasileiros. O jovem precisa se ver representado, sem estereótipos como o mauricinho e o alternativo.

A identificação do telespectador com a série é fundamental para o projeto de Castilho e Mello, tanto que eles realizam quinzenalmente uma reunião com jovens para saber se o roteiro está no caminho certo.

- Queremos saber o que eles pensam, como falam, onde vão, quais as maiores dificuldades que enfrentam quando entram no mercado de trabalho... Enfim, buscamos um produto muito próximo da realidade deles - explica Mello.

Esse motivo levou os produtores a buscar rostos desconhecidos do grande público, como os atores Thiago Pinheiro, o Teco; Renata Gaspar, a Lud; e Marcelo Lourençon, o Felipe. Os três, que também não se conheciam, se encontraram no teste do piloto há dois anos e tornaram-se grande amigos, assim como seus personagens.

- É engraçado porque nós três estávamos ali para o teste de elenco, fomos escolhidos para o piloto e nos demos bem de cara. Saímos juntos e tudo. Por sorte, dois anos depois, fomos escolhidos para a série de verdade. Deve ser porque temos rostos comuns e nos identificamos com a história de nossos personagens - , acredita Pinheiro, 25 anos, que na trama vive Teco, o jovem de Bauru que vai estudar em Londres, mas por conta de um cigarro de maconha acaba sendo deportado. - Ele não pode contar aos pais que o plano de Londres deu errado e decide ficar em São Paulo, mentir para a família e ver o que acontece - completa.

Os três já estão tão confortáveis com seus papéis que acabam dando palpite nas suas histórias, roupas e falas. Mas todos concordam que as aventuras vividas pelo trio são bem familiares.

- Sempre tem uma situação que a gente acha graça, ou porque já viveu ou porque conhece alguém que passou exatamente por isso - conta Renata, que, assim como Lud, já viu muita gente entrar pelo cano quando o amigo que vai dividir o apartamento desiste na última hora, deixando o outro na mão.

São comentários como esses dos atores que encorajam o canal a apostar alto no projeto e em seu sucesso. "Descolados" foi orçado em R$ 5 milhões e viabilizado por meio da Lei de Incentivo Fiscal. O diretores já pensam numa segunda temporada, assim como Cris Lobo. Todos também estudam novos desdobramentos do produto antes mesmo de ele ir ao ar, como uma trilha sonora, por exemplo. Para escolher as músicas da série, a MTV e a Mixer elegeram o produtor musical Rodrigo Coelho. Ele tem como missão apresentar novidades para os telespectadores, como a banda baiana Cascadura, os pernambucanos do Eddie e os paulistanos da Telepathique.

- Foram duas coisas que eu fiz questão e bati o pé: trilha sonora e abertura de primeira qualidade. Queríamos alguém que fugisse das obviedades. E a abertura é importante porque a marca da MTV são as vinhetas bacanas, diferentes - conta Cris.

Caminho das índias: 'Pandit é o único que sabe toda a verdade'


Sacerdote das famílias brâmane de 'Caminho das Índias', Pandit (José de Abreu) é a única pessoas que conhece os terríveis segredos que podem fazer tremer a famílias de Maya (Juliana Paes) e Raj (Rodrigo Lombardi). Quando será que ele vai revelar a verdade?

- Pandit sabe de tudo. Já deu sinais de que tem certeza de que as datas da gravidez de Maya e do casamento dela com Raj não batem. E tem conhecimento do filho de Raj no Brasil - garante. - Imagino que Glória Perez vá usar isso no final.

Nos próximos capítulos da novela, Pandit vai demonstrar que é leal a Opash (Tony Ramos). Quando ele descobrir que Chanti (Carolina Oliveira) fugiu para se tornar atriz, o sacedote evitará que a notícia se espalhe no mercado. Ele inventará para os fofoqueiros de plantão que Chanti foi se operar na Inglaterra.

Cilada: Bruno Mazzeo de He-Man em festa infantil


Bruno Mazzeo vai aparecer vestido de He-Man, com espada na mão e peruca loura, na estreia da segunda temporada do "Cilada", no próximo domingo, dia 19, no "Fantástico". Como o tema será festa infantil, o ator levou seu filho, João, de 4 anos, à gravação, que aconteceu numa casa de festas. Para Bruno, aniversário de criança é "a maior roubada de todas".

- É uma loucura, uma gritaria de crianças e recreadores, ainda mais quando a comemoração é em casa de festa. Todo mundo precisa falar gritando para se ouvir - conta Bruno - Paguei o maior mico, mas vou mostrar também a decadência de alguns super-heróis. O He-Man era meu ídolo na infância e hoje está totalmente esquecido.

Para Bruno, a única coisa boa de festa de criança é a comida.

- É a melhor parte. Fico comendo cachorro-quente - confessa ele, que já tem uma lista de temas que serão abordados nos próximos programas: churrasco, avião, barzinho, academia e saúde.

Audiência de segunda (13/07)


Senhora do destino - 21

Malhação - 25

Paraíso - 27

Caras & bocas -32

Caminho das Índias - 41

Promessas de Amor - 8

Vende-se um Véu de Noiva - 5

Record ignora Mutantes após saída de autor para o SBT


Agora, para o comando da TV Record, só existe uma novela em exibição na grade de programação. Todos os esforços serão feitos para que "Poder Paralelo", de Lauro César Muniz, alcance maiores índices de audiência.

E já há todo um trabalho por trás para que isto aconteça.

Os atores deste elenco terão sempre os melhores destaques e irão aparecer com mais frequência nos diversos programas da linha de shows. "Poder Paralelo" deve, inclusive, ganhar ares de relançamento.

Exatamente o inverso irá ocorrer, também a partir deste momento, com "Promessas de Amor". Mesmo estando em suas últimas semanas no ar, a novela será simplesmente deixada de lado. Ignorada.

Uma clara reação à repentina saída do autor Tiago Santiago, que com contrato até 2012, assinou com o SBT na última sexta-feira.

SESSÃO HUMOR: Viva o Gordo

Globo apresenta seu elenco jovem do seriado Ger@l.com


Aproveitando as férias da criançada, a Globo estreia no dia 20 de julho, às 11h30, o seriado Ger@l.com. Em cinco episódios, de 25 minutos, o programa inaugura uma nova maneira de contar uma história juvenil: conectada à tecnologia. E para compor o elenco, a emissora optou por uma seleção de atores jovens e novatos.

Xande e Luke Werneck são irmãos e primos de Mateus, João e Pedro Werneck. Juntos, formam a banda WWW. O grupo foi composto na vida real em março de 2006 e agora é transportado para a ficção.

Na trama, os personagens terão os mesmos nomes de seus intérpretes, que são músicos e apaixonados por esportes. As duas paixões da vida real também serão levadas às telas acompanhada por um enredo e por personagens fictícios, formando um paralelo entre realidade e ficção que contará, ainda, com imagens de arquivo da família Werneck.

Entretanto, os garotos da banda WWW sofrem com as reclamações da vizinha Lucélia (Vanessa Lóes). Mas será que a atriz também coloca a boca no trombone quando se sente incomodada pelos vizinhos?

“O Gael era pequeno e uma vizinha estava dando uma festa. Eram quatro horas da manhã e o barulho continuava absurdo, não acabava. Então precisei ligar para a polícia e reclamar”, conta a atriz durante a coletiva de imprensa do seriado no Projac, na tarde desta segunda-feira (13).

Mas participar de Ger@al.com fez Vanessa mudar:

“Depois das gravações eu mudei. No sábado passado a mesma mulher deu outra festa e eu optei por dormir com o Gael e o meu marido (Thiago Lacerda) na casa da minha sogra. Acabei vendo esta festa com outros olhos”.

Sobre o uso da internet, um dos temas abordados ao longo dos cinco capítulos, a atriz acrescenta:

“Eu não sou muito ligada em internet, uso mesmo para trocar e-mails. Sou da época que criança brincava de pipa, boneca...”.

Sinopse
Rita (Hanna Romanazzi), Neca (Sarah Maciel) e Jô (Isabella Camero) são três amigas que se intitulam como “as 3D+” e passam o dia conversando por webcams e navegando pela internet. Isto ao mesmo tempo em que escutam músicas no MP3 player e vêem televisão. Elas estão no site ligageral.com assistindo à mais nova produção caseira postada por B Menor (Vítor Mayer) e Junior (Jefferson Goulart), quando ouvem um rock´n roll vindo da janela. A música chama a atenção do trio, que faz de tudo para descobrir quem são os responsáveis por aquele som. Depois de muita procura, finalmente Rita (Hanna Romanazzi) encontra os rapazes no elevador: eles são os WWW.

Com a ajuda de B Menor (Vítor Mayer) e Junior (Jefferson Goulart), as 3D+ produzem um teaser da WWW e postam na ligageral.com. O vídeo tem um grande número de acessos e faz com que mais moradores do condomínio apóiem o grupo musical. Com enquetes, flahsmobs e ações virtuais, Rita (Hanna Romanazzi), Neca (Sarah Maciel) e Jô (Isabella Camero) vão conquistando cada vez mais espaço para a banda, criando grandes oportunidades para a WWW.

Record faz alto investimento em cidade cenográfica da novela "Bela a Feia"


Trinta e três fachadas espalhadas por sete quilometros. É nesse espaço que os atores da Record começaram a gravar Bela, a Feia, primeira novela da emissora com cidade cenográfica, que tem estreia prevista para 4 de agosto. A estrutura foi montada no Parque Terra Encantada, na Barra da Tijuca. Bárbara Borges, que vai interpretar a cabeleireira e manicure Elvira, está encantada com o salão de beleza em que vai gravar suas cenas ao lado de Aroldo (João Camargo) e Magdalena (Laila Zaid). "Tem tudo, é montadinho, perfeito. Fica realista porque a gente usa mesmo o que está ali, não finge que está fazendo", elogia.

A cidade reproduz o bairro da Gamboa, lugar onde a personagem vai morar com sua irmã, a protagonista Bela, vivida por Giselle Itié. "Elvira adora um pagode porque o pai é sambista. Ela também gosta de estar sempre bem maquiada, montada, porque acha que é a melhor vitrine para o seu trabalho", adianta Bárbara, toda poderosa, exibindo seu corpo malhado no figurino mínimo da personagem.

Andreia Kreis e Diogo Venturieri, que integram a equipe de cenografia da novela, explicam que o Salão Montezuma, a Casa da Bela e o Salão do Clemente foram os ambientes que mais exigiram cuidados da equipe, pois vão servir de cenário para grande parte das cenas. "Cerca de 60 profissionais estiveram envolvidos nesse projeto. Fizemos uma pesquisa pessoalmente no bairro, tiramos várias fotos e reproduzimos aqui tijolos de pedra sabão e até azulejos antigos, mas feitos em PVC", detalha o cenógrafo.

O trabalho da equipe de produção de arte também é essencial para dar vida à cidade fictícia. Como na Gamboa real, o bairro construído tem até camelôs e barraca de flores. "São cerca de 50 barracas espalhadas pelas três ruas da cidade e com produtos iguais aos vendidos no Centro do Rio mesmo", detalha Marcos Figueiroa, diretor de arte da novela.

A Record não divulga o quanto investiu na construção do espaço. O Parque foi alugado até julho de 2010 e o custo por capítulo da novela gira em torno de R$ 200 mil.

Bela, a Feia é a primeira novela de Bárbara Borges na Record. A atriz está empolgada com a nova casa e com a possibilidade de fazer um papel cômico na TV. "Encaro mudanças com facilidade. Gosto de fazer bons trabalhos e vai ser uma ótima oportunidade trabalhar com comédia", diz ela.

Aguinaldo Silva elogia Sbt pela contratação de autor da Record


Aguinaldo Silva usou seu blog, na internet, para comentar a mais nova contratação do SBT: o novelista Tiago Santiago, autor de Mutantes, da Record. Para Aguinaldo, a notícia foi ótima, pois indica que o mercado de trabalho está ativo.

“Em menos de dois dias, Silvio Santos tirou o novelista Tiago Santiago da Record, que assim perde uma de suas estrelas”, escreveu.

O autor ainda falou sobre a multa contratual que o SBT pagou à Record, emissora que Tiago Santiago tinha contrato até 2012, e sobre o salário alto que o novelista irá receber em sua nova ‘casa’ (Silvio Santos vai pagar o dobro do que Tiago recebia pela Record, que era em torno de R$ 200 mil).

“Silvio bancou a multa contratual que, segundo eu soube, é de R$ 2 milhões, e ofereceu ao novelista um salário milionário. Pois é ‘queriiiiidos’, a fila anda! Aguardem as próximas surpresas”, finalizou Aguinaldo.

Caminho das Índias: Raj descobre seu filho com Duda


Após um longo tempo escondendo de Raj (Rodrigo Lombardi) que ele tem um filho, Duda (Tania Khalil) verá seu segredo ser descoberto nos próximos capítulos de "Caminho das Índias".

A revelação será feita por Lucas (Murilo Rosa) após mexer no celular de Duda e ver um torpedo enviado por Surya (Cléo Pires) fingindo ser Raj questionando o motivo do fato ainda não ter sido revelado.

Duda ficará desesperada com a chegada da mensagem e conversará com Lucas, que cai na armadilha de Surya e deduz que Raj já saiba de toda a verdade. Lucas vai conversar com Raj e lhe revelará toda a verdade.

Cauã Reymond é cotado para nova novela de Sílvio de Abreu


O ator Cauã Reymond está cotado, segundo o jornal O Globo, para participar da nova novela de Sílvio de Abreu, chamada provisoriamente de “Passione”.

O último papel de Cauã na televisão foi em “A Favorita” de João Emmanuel Carneiro no ano passado. Como em “A Favorita”, Cauã poderá contracenar com Mariana Ximenes, que viverá uma vilã na nova trama.

Se aceitar o convite, esta será a segunda vez que o ator atuará numa novela de Silvio de Abreu. Em 2005, Cauã viveu Mateus, em “Belíssima”.

“Passione” tem previsão de estreia para 2010. Além de Mariana Ximenes, a trama contará com a participação de Fernanda Montenegro, Reynaldo Gianecchini, Tony Ramos e Aracy Balabanian.

SESSÃO BRIGAS: Tieta

Malhação: Com boa audiência, Globo decide esticar a novela Teen


Satisfeita com a audiência da atual temporada de “Malhação”, a Rede Globo decidiu esticá-la até dezembro, quando o autor Ricardo Hofstetter substitui Patrícia Moretzsohn.

Detalhe: A atual temporada do folhetim tem média de 21 pontos.

EM TEMPO >>> A emissora também decidiu que a novela das sete, Bom Dia Frankenstein estreará no dia 11 de janeiro, substituindo “Caras & Bocas”.

Betty, a Feia: Miguel Falabella quer fazer versão da novela


A novela “Betty, a Feia” segue fazendo escola. Agora é o autor Miguel Falabella que pretende fazer um seriado na Globo no estilo da trama colombiana. Segundo informações do Jornal Folha de São Paulo, Miguel pretende colocar Juliana Paes como protagonista.

Nos últimos dias, Miguel teria dito que não está com vontade de continuar com o seriado “Toma Lá Dá Cá” e recusa voltar a escrever novelas.

É importante ressaltar que no próximo dia 4 de agosto, a Record realizará a estreia da versão brasileira do folhetim, “Bela, a Feia”.

Vamos combinar que chega! Já basta tudo o que tá no ar em relação a essa novela!

Será que essa vai colar? Record prepara armadilha contra a Globo


A Rede Rocord, que recentemente fechou uma parceria com a emissora mexicana Televisa, prepara um novo projeto em conjunto com a maior produtora de novelas do mundo. Após utilizar o sinal da extinta Tv Mulher para colocar no ar o primeiro canal de notícias da TV Aberta, o canal dos bispos prepara mais um audacioso projeto.

Eles pretendem comprar uma rede de TV UHF, possibilitando assim a criação de um novo canal, a Record Novelas, que transmitirá cerca de 14 novelas por dia, entre reprises e novelas mexicanas inéditas, tramas da Televisa adaptadas no Brasil, alguns seriados latino-americanos e um novo programa sobre bastidores da emissora.

Com o canal Record Novelas em sinal aberto a Rede Record pretende minar ainda mais o poder da TV Globo, cujo maior alicerce é a teledramaturgia.

"Rio do Tempo" é nome provisório da próxima novela da Record


O autor Marcilio Moraes já trabalha na sinopse de sua próxima novela na Record, que substituirá “Poder Paralelo” no início de 2010.

Desta vez, o autor vai deixar de lado o realismo dos morros cariocas para explorar uma cidade do interior, sem compromisso com a atualidade. Segundo informações do jornal Folha de São Paulo, a trama terá uma forte “pegada” política.

"Existe ali [na fictícia cidade] uma articulação política misteriosa, uma conspiração", adianta. Mas não pretende ser um painel do Brasil em ano eleitoral. "No máximo, será uma metáfora", diz.

Inicialmente a novela tem o título provisório de “Rio do Tempo” e deve estrear em fevereiro de 2010.

Confira a média semanal das novelas


A novela "Paraíso" bate novo recorde de audiência. A trama de Benedito Ruy Barbosa adaptada pela sua filha Edimara Barbosa fechou a semana com 27 pontos de audiência. Contente com o resultado, a Globo resolveu esticar a trama em duas semanas. Destaque também para a reprise de "Senhora do Destino", que chegou a pico de 31 pontos.

Na Rede Record, "Promessas de Amor" manteve a média com apenas um digito. O autor Tiago Santiago, que assinou contrato com o SBT, deve entregar o último capítulo da trama nos próximos dias.

No SBT, "Vende-se um Véu de Noiva" segue ocupando a terceira posição do ranking. A emissora de Silvio Santos deve investir em novos atores para o cast do canal, que acaba de investir na contratação do autor Tiago Santiago para suas próximas produções.

Veja as médias das novelas entre os dias 06/07 a 11/07:

Caminho das Índias - 40

Caras & Bocas - 30

Paraíso - 27

Malhação - 23

Senhora do Destino - 24

Promessas de Amor - 8

Poder Paralelo - 10

Véu de Noiva - 5

*Os índices são prévios, referentes à Grande São Paulo e podem sofrer alterações no consolidado. Vale lembrar que cada ponto representa cerca de 60 mil domicílios na capital paulista, dados que servem como referência para o mercado publicitário.

TELETEMA: Capitu

Som & Fúria – Episódio 4


Para fechar com chave de ouro sua primeira semana de exibição, Som & Fúria nos apresentou, nesta sexta, um excelente episódio com muito mais amor, humor, insanidade e, claro, muito mais Shakespeare.

Fiz uma reclamação do episódio anterior e acabo recebendo de presente mais um excelente episódio, que em nada deveu aos dois primeiros. Tudo o que a série tem de bom esteve presente, as partes que eu achava mais fracas na série, se equilibraram, resultando um episódio harmonioso. Fora que a história deu um salto nesse episódio, avançando a história a um ponto que eu só esperava ver em mais dois ou três episódios.

Logo após sair da cadeia, Dante retorna a Cia. De Teatro com uma decisão tomada: assumir a direção de Hamlet. E começam os ensaios da peça com uma interessante dinâmica entre o grupo de atores e Dante, e entre este e o fantasma de Oliveira. Enquanto ocupa-se da peça, Dante vem sendo sabotado por Ricardo e Graça, que colocam em prática os planos para assumirem o controle da Cia.

O episódio foi todo sensacional, não sobrando nenhuma cena da qual eu não tenha gostado. Nem houve disparidades entre o elenco, ficando quase todos no mesmo nível de excelência de Felipe Camargo e Pedro Paulo Rangel. Até mesmo o Cléber (namorado de Ellen) conseguiu me convencer que ele não é total desperdício de tempo.

Como destaquei, a história hoje avançou muito. Aspectos como a substituição de Clara por Kátia no papel de Ofélia, por exemplo, imaginei que ocorreria alguns episódios adiante. Claro, tudo ainda tá muito cru e a peça está longe de ficar pronta, por isso, vários ajustes ainda terão que ser feitos pelo Dante. O romance de Kátia e Jacques também continuou tendo espaço na trama chegando a um excelente nível (não gostei dos dois no episódio anterior, onde cada frase tinha a palavra ’sexo’, em uma abordagem equivocada). Por falar em romance, Dante e Ellen mostraram que ainda têm força para fazer um casal cativante e cheio de química.

Em um episódio tão bom, o elenco todo se destacou. Os já elogiados Pedro Paulo Rangel, Felipe Camargo, Andrea Beltrão, Maria Flor e Daniel Oliveira mantiveram os níveis de seus respectivos personagens. Destaque para Maria Helena Chira, e sua hilária interpretação da “loucona” Ofélia.

Também quero elogiar três atores que já mereciam desde o primeiro episódio. São eles: Arthur Kohl, Wandi Doratiotto e Gero Camilo. Os dois primeiros interpretam o casal Ciro e Franco, que são quase sempre irônicos em seus comentários sobre seus companheiros de elenco e me fazem rir muito. Já o personagem de Gero Camilo é Naum, o segurança do Teatro. Ele é a alma daquele Teatro pela quantidade de peças e ensaios que presenciou ali, os shows dados por diversas estrelas e toda uma vida naqueles corredores. Como já dizia sua descrição, ele vive e respira teatro, conhece todos os clássicos, dá pitacos nas produções e faz diversas citações aos clássicos.

O humor, que sempre destaco em minhas reviews, esteve dissipado em todas as cenas do episódio, na maluca conversa entre Dante e Cléber, os comentários de Dante sobre os atores, as interpretações de Jacques e Clara, o “jeitinho” de Oliveira para tirar Clara da peça, nas constantes conversas entre Dante e Oliveira sobre o elenco e o cenário e, sobretudo, na cena da apresentação de Dante para o elenco, onde ele imitou o jeito do Oswald… Acho que nunca ri tanto do Felipe Camargo antes como nesse momento.

Som & Fúria - Episódio 3


O trunfo de Som & Fúria é o fato de a série ser um grande Making Of do Teatro. Boa parte da população não tem acesso a essa excelente forma de diversão e arte e, mesmo para aqueles que já tiveram a oportunidade de ir ao Teatro, ainda resta descobrir como se monta aquele espetáculo que acabaram de assistir. Som & Fúria veio para mostrar o que acontece nas coxias, nos ensaios, como é a vida pessoal dos atores, etc - e esse papel da série a torna muito interessante, mesmo em um episódio fraco como esse terceiro.

Não foi um episódio ruim o dessa quinta. Depois de dois episódios excelentes, contudo, não supriu as nossas expectativas (as minhas, pelo menos). O humor não estava tão presente quanto no anterior, e cenas que eu esperava que fossem salvar o episódio acabaram me decepcionando. Dante, Ellen e Oliveira apareceram muito, mas não brilharam tanto quanto nos outros dois episódios (que fique claro que não estou falando do excelente trabalho dos intérpretes dessas personagens), o que acabou sendo bom, pois outros atores puderam se destacar mais.

Na trama do episódio, Ellen decide fazer uma festa em sua casa para o elenco da peça (menos o Dante), e os conflitos entre Dante e Oswald chegam ao extremo, fazendo com que Dante invada a festa de Ellen e duele com o Diretor da peça. Após o duelo, Dante é mantido preso para que seja feita uma análise psiquiátrica, e o resto do episódio é centrado na repercussão que gera essa prisão, decorrente de um novo surto de Dante.

Mesmo em menor quantidade, o humor estava presente no episódio. Com os protagonistas apagados, Dan Stulbach e Regina Casé brilharam, fazendo cenas hilárias, como o jantar e os planos dos dois na sala de Ricardo. A cena da briga também foi muito divertida, gerando alguns momentos engraçados como o do desabafo de Maria (Chris Couto). E também foi ótimo ver Ana perdendo o controle com Oswald - uma coisa muito inesperada que me fez rir muito.

Cena muito boa também foi a do workshop que o Dante fez com os funcionários de uma empresa. Foi emocionante ver a interpretação de um dos funcionários da célebre cena onde Macbeth vê Lady Macbeth morta (uma das frases foi, inclusive, a responsável pelo nome da série, e já tinha sido citada no primeiro episódio). Para quem gosta dos clássicos, as constantes citações de Shakespeare são um presente, fora a vida de Dante, que tem um quê da história do próprio Hamlet.

As cenas de Dante preso eram as que mais me deram expectativa, embora não tenham sido tão engraçadas quanto eu esperava, acabaram sendo de fundamental importância para a construção de ambos os personagens (Dante e Oliveira) sem deixar de ter a pitada de sarcasmo que todo o roteiro tem.

Quanto aos atores, hoje não teve pra ninguém senão Dan Stulbach, que é engraçadíssimo interpretando o atrapalhado Ricardo. Sua dupla com Regina Casé é ótima. Regina Casé também foi bem hoje, acredito que tenha exagerado um pouco em alguns momentos, mas mesmo assim tá sendo muito superior ao que eu imaginava que veria dela nessa série. Elogiar Cecília Homem de Melo também já está virando repetitivo, ela está sempre ótima. Acho que independente de qualquer trabalho que ela venha a fazer, não vou eliminar a imagem de Ana que já associei a ela.

Acho que, enquanto a história da série continuar assim, com várias vertentes, vai agradar ao público. Às vezes apenas a uma pequena parcela (como hoje), e em outras ocasiões atingindo um todo mais abrangente (como o episódio de ontem). O importante é manter a qualidade do roteiro, que do resto o excelente elenco já toma conta.

E não querendo ser repetitivo, mas já sendo, o principal problema de Som & Fúria é a Globo, que passa a série em um horário que, alem de variável, é horrível.

P.S.: Pela promo, vê-se que o episódio de amanhã vai ser ótimo. Tomara que tenha mais agilidade que esse.