sábado, 11 de setembro de 2010

SESSÃO CENA INESQUECÍVEL: Os Imigrantes

Globo estica Aline


A nova temporada da série "Aline", protagonizada por Maria Flor, com participações de Pedro Neschling e Bernardo Marinho, só vai estrear em janeiro na Globo. Até aí tudo certo.

Só que a direção da emissora, empolgada com o roteiro, autorizou uma espichada no número de episódios. Em vez de sete, a próxima temporada terá dez programas.

VALE A PENA LER DENOVO


Os Imigrantes foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Bandeirantes e exibida de abril de 1981 a junho de 1982 às 18h30. Escrita por Benedito Ruy Barbosa, Wilson Aguiar Filho e Renata Pallottini e dirigida por Atílio Riccó, Antonio Abujamra, Henrique Martins e Emílio di Biasi. Ao longo do tempo, a Bandeirantes já reapresentou Os imigrantes em diversas ocasiões. Em 1982, logo após o final da "Terceira Geração", foi reapresentada em compacto de 30 capítulos no mesmo horário das 18h30. Em agosto de 1983, às 20h, foi reapresentada apenas a 1ª fase. De janeiro de 1990 a maio de 1991, na faixa matutina, ocorreu a única reprise integral dos 333 capítulos até hoje. Ainda, entre março e julho de 1995, as duas primeiras fases foram reprisadas, às 18h. Atualmente é reprisada pelo canal Ulbra TV.

Trama

A telenovela conta a saga dos imigrantes que ajudaram a construir o Brasil como o conhecemos, deixando seus países de origem em busca de uma vida melhor. Os personagens protagonistas da história são três homens de nacionalidades diferentes, mas homônimos.

Antonio di Salvio, italiano, prospera ao casar-se com Isabel, filha de Décio, um fazendeiro cafeicultor, indo inclusive viver num dos suntuosos casarões da Avenida Paulista.

António Pereira, português, depois de aproveitar bem a juventude com muitos amores e diversão, abre uma empresa transportadora e prospera.

Já o espanhol, Antonio Hernández, só vem a conhecer o sossego no fim da vida, após muitas desventuras políticas. Há a presença da bela espanhola Mercedez, alvo da cobiça dos homens, e as intrigas características do Brasil das primeiras décadas do século XX.



Elenco
* Rubens de Falco - Antonio di Salvio
* Othon Bastos - António Pereira
* Altair Lima - Antonio Hernández
* Herson Capri - Antonio di Salvio (1ª fase)
* David Arcanjo - Antonio Pereira (1ª fase)
* José Piñero - Antonio Hernández (1ª fase)
* Yoná Magalhães - Mercedez
* Taumaturgo Ferreira - Tonico
* Maria Estela - Isabel
* Lúcia Veríssimo - Isabel (jovem)
* Rolando Boldrin - Décio
* Norma Bengell - Nena
* Fúlvio Stefanini - Amadeu
* Cristina Mullins - Nina
* Luís Carlos Arutin - Youssef
* Dionísio Azevedo - Tufik
* Flora Geny - Rosita
* Riva Nimitz - Matilde
* Baby Garroux - Pierina
* Sandra Barsotti
* Agnaldo Rayol - Miguel
* Luiz Armando Queiroz
* Paulo Betti - André
* Afonso Nigro
* Valdir Fernandes - Primo
* Carlos Amorim
* Elizabeth Gasper - Frida
* Fausto Rocha - Renato
* Chica Xavier - Biá
* Solange Couto - Bia (1ª fase)
* Paulo Autran - Paco
* Marcela Muniz - Maninha
* Ísis Koschdoski- Rosália

Passione: Clara quase é demitida e bate na avó


A briga entre Clara (Mariana Ximenes) e Valentina (Daisy Lúcidi) vai ficar ainda mais forte nos próximos capítulos de Passione. De acordo com a coluna Sessão Extra, do jornal Extra, depois de mais uma discussão entre elas, a cafetina vai à cantina em que a neta trabalha, é atendida por ela e implica com tudo. Diz em voz alta que a garçonete trocou todos os pedidos, e ainda derrama refrigerante sobre si mesma para culpar Clara.

Resultado: o chefe demite a funcionária. A vilã tenta se explicar: “Ela é minha avó, veio só pra me prejudicar”. O dono da cantina não acredita, mas Totó (Tony Ramos) chega e diz que viu quando Valentina se molhou de propósito. Com isso, Clara consegue o emprego de volta. Mais tarde, em casa e furiosa, dá um bofetão na avó. As cenas vão ao ar daqui há três semanas.

Por água abaixo


Em “Ti-Ti-Ti”, Jacques Leclair (Alexandre Borges) arma um plano para tirar fotos de Victor Valentim (Murilo Benício). Clotilde (Juliana Alves) se faz passar por uma cliente, marca um atendimento e consegue fazer várias fotos do estilista. Com medo de que Jacques descubra que ele é o Valentim, Ari liga para Marta (Dira Paes), e pede que ela dê um jeito de resgatar a câmera.

A costureira finge que precisa conversar com Jacques com muita urgência e ele acredita que a ex-namorada está tentando resgatar o romance. Marta inventa que sua filha Amanda (Thaila Ayala) está precisando de ajuda na carreira, mas Jacques começa a relembrar os tempos em que os dois eram apaixonados.

Marta acaba não resistindo ao charme de Jacques, os dois quase se beijam e, numa reação intempestiva, ela quebra um vaso na cabeça de Jacques. Marta aproveita para pegar a câmera e foge.

Dicas de um Sedutor volta ao ar em outubro


O Canal Viva irá reprisar a aprtir de outubro a série "Dicas de um Sedutor", exibido na Globo em 2007, como espcial de fim de ano, e com temporada regular em 2008.

Santiago (Luiz Fernando Guimarães) é um experiente consultor sentimental que desvenda o universo masculino para salvar a felicidade delas, dando dicas e conselhos para conquistas e reconquistas bem-sucedidas.

Ainda não foi confirmado data ou horário de exibição.

SESSÃO BEIJO: Hilda Furacão

Passione: Melina se casa com Fred às escondidas


Bete (Fernanda Montenegro) está apreensiva com o sumiço de Melina (Mayana Moura), que não deu mais notícias desde a última briga das duas, quando a estilista reaparece em casa.

A morena explica que estava resolvendo sua vida e revela, exibindo uma aliança no dedo:

"Eu me casei... E eu e meu marido vamos morar aqui".
Para o choque de Bete, Fred é seu novo genroPara o choque de Bete, Fred é seu novo genro

Em seguida, ela anuncia o marido, e é Fred (Reynaldo Gianecchini) que entra na mansão, deixando Bete estarrecida.

Você não pode perder essa cena! Ela vai ao ar segunda-feira, 13/09, em Passione.

Araguaia: Fernando perde tudo em corrida de cavalos


Araguaia, a nova novela das seis, já começa com grandes emoções. Nos primeiros capítulos, Tomado pelo entusiasmo natural dos apostadores experientes, Fernando Rangel (Edson Celulari) investe suas últimas economias numa corrida de cavalos. O bon vivant promete à esposa, Estela (Cléo Pires), que se for o ganhador, a bolada pode dar um novo rumo à vida do casal.

Mesmo preocupada, a jovem apoia o marido, que diz estar cansado de viver driblando a falta de dinheiro. Mas o seu escolhido, o número sete, atravessa a linha de chegada em último lugar.

A frustração toma conta de Fernando, que se dá conta de que não sobrou um tostão para contar história. Estela tenta confortá-lo e garante que sairão juntos desta enrascada. É neste momento que o jogador pensa em uma saída para o problema: ir para a região do Araguaia e reencontrar o filho, Solano (Murilo Rosa), que pode tirá-lo da miséria.

A trama estreia dia 27 de setembro.

Três, dois, um...


A equipe de “Malhação” está contando os dias para o fim do horário eleitoral. Graças a ele, o programa está indo ao ar às 17h15m, o que, avalia-se, tem grande impacto sobre a audiência.

Nessa faixa, muitos adolescentes ainda não voltaram da escola.

No último dia 7, feriado, “Malhação” — que vem cravando 16 — chegou a 22 pontos de média, reforçando esta tese. O fato é que, nos bastidores, os números preocupam porque a novela é responsável por “abrir” a programação da noite.

Sansão e Dalila: Gravações seguem a mil


João Vitti grava numa pedreira, na Zona Oeste do Rio, cenas da minissérie “Sansão e Dalila”, da Record.

Na história, que tem estreia prevista para o fim do ano, ele será um mensageiro.

Com direção de João Camargo, a produção também terá locações no Nordeste. A equipe viajará para lá amanhã.

Passione: Máfia italiana provoca incêndio no sítio dos Mattoli, dia 16


Em resposta ao incêndio no celeiro, armado por Clara (Mariana Ximenes), a máfia italiana coloca fogo no sítio dos Mattoli em Passione, na quinta-feira, dia 16, às 21h20, logo após o horário político, na Rede Globo.

Adamo (Germano Pereira) e Francesca (Marcella Valente) estavam no local e precisaram correr para se salvar do fogo.

SESSÃO BRIGAS: Sete Pecados

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Canal Brasil estreia Águias de Fogo


Sem alarde, o Canal Brasil trouxe de volta à TV um dos clássicos, quase esquecido, das séries brasileiras. “Águias de Fogo” foi uma das produções pioneiras que surgiu graças ao sucesso de “O Vigilante Rodoviário”.

A série foi criada por Ary Fernandes, um dos responsáveis por “O Vigilante Rodoviário”, que teve a ideia de produzir uma história com aventuras semanais sobre cinco pilotos do esquadrão Águias de Fogo e suas aventuras protegendo o espaço aéreo nacional. Em visita ao suíço Gilberto Valtério, da empresa Nestlé, que tinha patrocinado a primeira série de Ary, o produtor contou sobre seu novo projeto. Depois de dois dias de negociações e orçamentos, a empresa aprovou a produção da série.

Estrelada pelo próprio Ary Fernandes (Capitão Paulo César), a série também contava com as presenças de Ricardo Nóvua (Tenente Celso), Dirceu Conte (Major Ricardo), Roberto Bolán (Aspirante Fábio) e Edson Pereira (Sargento Fritz). Mas, logo no início da produção, Ricardo Nóvua se desentendeu com um dos atores e acabou saindo da série. O ator não foi substituído e, por isso, a série passou a contar com quatro personagens centrais.

A série de aventura recebeu o apoio da Areonáutica, apresentando histórias ficcionais com base em fatos verídicos. Entre os temas apresentados estão a tentativa de sequestro de um diplomata estrangeiro, contrabando na fronteira e missões de resgate. Foram produzidos 26 episódios, que foram conservados pela Cinemateca Nacional.

As filmagens eram feitas na Base Aérea de Cumbica, onde os atores eram filmados nas cabines dos aviões que nunca levantaram vôo. Com uma tela no fundo e um extintor de CO2 cumprindo a função de ‘fabricar’ as nuvens, as cenas eram filmadas dando a impressão de que o avião estava realmente no ar. Algumas cenas foram feitas dentro de aviões em vôo para depois serem inseridas na sequência das cenas da série.

“Águias de Fogo” foi produzida entre 1967 e 1968, exibida pela extinta Rede Tupi, sendo cancelada por não conseguir enfrentar a concorrência com a novela “A Redenção”, que registrava cerca de 70% da audiência do eixo Rio-São Paulo. Após seu cancelamento, a série teve alguns episódios compilados e transformados nos filmes “Sentinelas do Espaço” e “Águias em Patrulha”, exibidos no cinema.

Desde 2000 Ary Fernandes vem negociando com canais a cabo para exibir “O Vigilante Rodoviário” e “Águias de Fogo” na TV. A primeira já faz parte da programação do Canal Brasil, tendo sido lançada recentemente em DVD. Agora é a vez de “Águias de Fogo” percorrer o mesmo caminho, deixando os fãs de séries clássicas na expectativa de que a produção também chegue em DVD.

Confira a lista dos episódios da série:

01. Contrabando
02. Assalto
03. Operação Rondom
04. O Engraxate
05. Estação Clandestina
06. Alvo
07. Rádio Compasso
08. A Grande Revoada
09. Urânio 238
10. Terra dos Índios
11. Operação Tatu
12. O Invento
13. O Agente
14. Aspirante
15. A Competição
16. Estação de Junção
17. Asilado
18. Mãe de Ouro
19. Imprevisto (com participação de Carlos Miranda, o Vigilante Rodoviário)
20. Zona de Perigo
21. A Trama
22. A Procura
23. Emergência
24. Diplomata
25. Rapto
26. A Viagem

A série será exibida todas as segundas, as 20h30, com reprises nas terças, as 15h30, e domingos, as 11h.

'Desejos das Águas' é o título provisório da próxima novela das 18hs


'Araguaia' ainda nem estrou e a Globo já começa a formar a próxima novela das 18h.

De autoria de Duca Rachid e Thelma Guedes, 'Desejos das Águas' é o título provisório da nova novela que só estreia em março de 2011.

A trama vai se passar nos anos 20 e conta a história de uma menina pobre que se apaixona por um homem, um amor em vão pois ela é vendida, pelos pais, para um grande e rico empresário. Anos mais tardes, ela volta para se vingar da família.

'Desejos das Águas' deve contar com Paola Oliveira e Carmo Dalla Vecchia como protagonistas e Carla Marins no papel de vilã.

Penúltimo e último capítulo da reprise de “Sinhá Moça” registram 18 pontos de audiência


O penúltimo capítulo da reprise de “Sinhá Moça” exibido na tarde desta quinta-feira (09/09), de acordo com dados preliminares do Ibope, registrou uma média de 18 pontos. No horário em que a trama foi exibida, das 14h30 às 15h30, a Record e SBT dividiram a segunda posição, com 5 pontos cada.

O último capítulo foi exibido nesta sexta (10), e além de registrar 18 pontos teve picos de 21. E, na segunda (13), entra em cartaz “Sete Pecados”, de Walcyr Carrasco.

Desde sua estreia em 15 de março, “Sinhá Moça” acumula uma audiência de 15 pontos. São cinco pontos a menos que a antecessora, “Alma Gêmea” e uma das mais baixas do “Vale a Pena Ver de Novo”.

Diretor da Globo apresenta projeto de novela com 365 capítulos e com final ao vivo


Luís Fernando Carvalho, responsável pela direção de tramas como “O Rei do Gado”, “Esperança” e “Os Maias”, apresentou à cúpula da TV Globo um ousado projeto de dramaturgia: uma novela com 365 capítulos e exibida de domingo a domingo.

Em entrevista à coluna Outro Canal, o diretor disse que caso o projeto seja aprovado, a trama deverá estrear num dia 1º de janeiro e se encerrar no último dia do ano com a exibição ao vivo do desfecho da história, incorporando o realismo à ficção brasileira. “Desta forma, a novela se aproximaria da discussão entre a realidade e a ficção. Os capítulos não poderiam falhar dia nenhum. Teria que estar na casa daqueles personagens todos os dias”, diz Carvalho.

Procurado, o diretor de entretenimento da Globo, Manoel Martins, confirmou que o projeto foi recebido pela cúpula da emissora, entretanto acredita que a emissora carioca não deverá exagerar na ousadia. “Luiz Fernando Carvalho é um homem criativo. Ousadia tem sempre lugar na TV, mas não ousadia pela ousadia. A Globo é um veículo de comunicação de massa”, afirma.

A novela, de um ano de duração, foi uma das sugestões apresentadas por Carvalho à emissora, porém os diretores da Globo optaram por levar adiante a minissérie “Afinal, o que Querem as Mulheres?”, prevista para estrear ainda nesse semestre.

Klara Castanho estará na próxima novela das sete da Globo


A pequena atriz Klara Castanho, que fez sucesso na novela “Viver a Vida” na pele de Rafaela, já tem novo trabalho pela frente. Ela foi convidada para a próxima novela das sete da Globo, de Walcyr Carrasco, que tem o título provisório de “Dinossauros e Robôs”.

Desta vez Klara viverá uma garotinha boazinha. “A Klara tem contrato com a Globo por três anos e recebemos o convite para esse papel no mês passado. Ainda não chegou a sinopse da personagem, então não sabemos muito. Só sei que ela será a filha do personagem do Marcos Pasquim e neta da Walderez de Barros. Ela está muito feliz e ansiosa para voltar a uma novela. A história é meio lúdica, mexe com a cabeça da criança”, contou a mãe dela, Karla, ao portal Caras.

“Dinossauros e Robôs” irá misturar humanos, robôs e dinossauros, e substituirá “Ti Ti Ti” em 2011. Segundo o Na Telinha, já estão confirmados na novela os nomes de Marcos Pasquim, Flávia Alessandra, Adriana Esteves, Cissa Guimarães, Dionísio Neto, Vanessa Giácomo, Narjara Turetta, Samara Filippo e Nívea Stelmann, entre outros.

SESSÃO HUMOR: Toma Lá, Dá Cá

a

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Mateus Solano viverá um cientista maluco na próxima trama de Carrasco


Os gêmeos Jorge e Miguel, de “Viver a Vida”, já são páginas viradas para o ator Mateus Solano. Prestes a ser papai em um mês, o ator também se envolve com seu novo papel – o de um cientista maluco, na próxima trama de Walcyr Carrasco, ainda sem nome definido, prevista para estrear logo após o fim de “Ti-ti-ti”.

De acordo com a coluna “Sem Intervalo”, do jornal “O Estado de S. Paulo” desta quinta-feira (9), seu personagem atende pelo nome de Ícaro e criará um robô com a cara de sua mulher, vivida pela atriz Flávia Alessandra, morta em um acidente.

Por se parecer muito com uma pessoa real, o andróide conquistará o coração de outro bonitão, Leandro, interpretado por Sérgio Marone.

Após “As cariocas”, Globo planeja “As paulistas” para 2011


Com elenco estrelado, “As cariocas” estreia em outubro na Globo. Nos capítulos, dirigidos por Daniel Filho (o mesmo de “Se Eu Fosse Você”) o público poderá conferir Alinne Moraes, Grazi Massafera, Regina Duarte, Fernanda Torres e muitas outras atrizes globais.

Porém, nem mesmo a série foi ao ar e os organizadores já pensam na versão do ano que vem.

De acordo com a coluna de Anselmo Góis, do jornal “O Globo”, a emissora já acertou para 2011 a exibição de “As paulistas”.

Tarcísio Meira sofre acidente durante gravação de série


Durante as gravações da série “Afinal, o que querem as mulheres?”, da Globo, um imprevisto tirou o sossego do ator Tarcísio Meira.

Segundo o jornal Extra desta quinta-feira (9), o ator bateu com o carro em que faria uma das cenas da série. O acidente, que não foi grave, ocorreu na quarta (8), em Copacabana, Zona Sul do Rio.

De acordo com a publicação, os produtores que estavam no local correram para ajudar Tarcísio a tirar o carro sem muitos danos. O ator não sofreu nenhuma lesão e comemorou ao sair da garagem quando viu apenas pequenos arranhões na lateral do carro.

A série “Afinal, o que querem as mulheres?” é baseada no famoso questionamento de Freud e tem previsão de estreia para o mês de setembro.

Insensato Coração já tem 37 capítulos escritos


“Insensato Coração”, próxima novela das nove da Globo, só estreia em janeiro de 2011, porém seus trabalhos já estão sendo adiantados pela emissora. De acordo com a jornalista Keila Jimenez, até o momento, os autores Gilberto Braga e Ricardo Linhares já escreveram 37 capítulos da trama.

Além disso, a pré-produção das gravações em Florianópolis também já está adiantada. Uma equipe da novela já visitou a capital catarinense pelo menos três vezes para selecionar as principais locações da trama. Um dos motivos para a Globo adiantar os trabalhos na cidade é que a equipe da novela optou por finalizar as gravações antes do início da alta temporada, na qual o município ficará lotado de turistas, sobretudo argentinos.

No elenco de “Insensato Coração” estão nomes como Glória Pires, Natália do Vale, Eriberto Leão, Maria Clara Gueiros, Antônio Fagundes, Fábio Assunção e Camila Pitanga, entre outros. A direção geral ficará a cargo de Denis Carvalho

‘Passione não é uma novela convencional’, diz autor


No começo, muita gente estranhou o ritmo acelerado de Passione, mais para série americana do que para novela brasileira. Agora, tem telespectador achando que o mocinho é o bandido e torcendo para que a bandida se redima.

No futuro, Passione poderá ser reconhecida como uma novela que ajudou a mudar a concepção de heróis, tornando-os mais humanos e modernos. Um passo adiante para o gênero mais avançado da televisão brasileira, que já nos anos 1970, em plena ditadura, cumpria função social educadora ao defender a igualdade entre homens e mulheres. E que, duas décadas depois, mostrou que gays são pessoas “normais” e pregou a justiça social e a reforma agrária.

“Passione não é uma novela convencional, muito menos ainda no que diz respeito aos personagens”, afirma Silvio de Abreu, responsável pelo texto da produção das 21h da Globo.

Um dos aspectos que vêm incomodando telespectadores é o comportamento da mocinha Diana, interpretada por Carolina Dieckmann. Ela traiu o marido, Gerson (Marcello Antony), algo impensável para o esquema clássico da heroína de folhetim.

Silvio de Abreu explica:

“Diana não tem nada de uma heroína convencional. Geralmente, a heroína gosta do herói e passa por muitos percalços até conseguir a felicidade, no último capítulo da novela. Diana começou logo de cara com os maiores galãs da novela caídos por ela. Não brigou por nenhum dos dois, escolheu errado e nunca ficou chorando nos cantos. Foi atrás de reparar o seu erro e reformular a sua vida. Para mim, isso é uma heroína moderna, que toma a vida em suas mãos, erra, cai, se levanta e vai em frente. Não é aquela mocinha passiva que fica esperando o destino resolver por ela. É claro que para o público é estranho, nenhuma heroína foi assim antes.”

Abreu levou muita gente a acreditar que Melina (Mayana Moura), a antagonista de Diana, seria a verdadeira mocinha. Ela foi apresentada como boa filha, profissional talentosa, apaixonada por Mauro (Rodrigo Lombardi) desde a infância.

No capítulo da última terça, Melina apareceu como uma menina mimada, possessiva, neurótica. Em breve, vai se casar com o vilão Fred (Reynaldo Gianecchini), somente para se vingar dos Gouveia – uma família que, apesar de rica, tem todos os defeitos do mundo.

Já o comportamento de Mauro pode induzir o público a suspeitar que ele esconde algo terrível – desde uma paternidade não assumida até a arquitetura de uma série de crimes. Silvio de Abreu sustenta que ele é, sim, o herói de Passione:

“Ele é o mocinho do triângulo amoroso mais convencional da novela. Mas como pode ser mocinho se não rompeu com o Gerson quando ele lhe roubou a mulher? Como pode ser mocinho se aceitou ser trocado pelo outro e entendeu que não podia fazer nada diante da escolha da mulher amada? Isso também não é um comportamento usual de herói, mas sim de um homem adulto e equilibrado.”

TRILHA SONORA: Pecado Rasgado

Nacional


01. MEU PENSAMENTO É VOCÊ - Serginho (tema de Rodrigo e Cris)
02. SENHORITA - Hermes Aquino (tema de Bruno)
03. SOSSEGO - Tim Maia
04. VENHA - Fábio (tema de Renato)
05. SOL DA MEIA-NOITE (MIDNIGHT SUN) - Miucha
06. FIQUE UM POUCO MAIS - Rosana (tema de Maurício e Zoraide)
07. NÃO EXISTE PECADO AO SUL DO EQUADOR - Ney Matogrosso (tema de abertura)
08. HEY BABY - Harmony Cats (tema de Aninha)
09. QUERO - Sidney Magal
10. DE FOGO, LUZ E PAIXÃO - Marcelo (participação especial Gal Costa) (tema de Teca e Renato)
11. DANCE COMIGO - Gemini
12. ELE OU VOCÊ - Elizângela
13. NADA MAIS - Golden Boys (tema de Geraldo e Beatriz)
14. VENHA DE LÁ - Aquarius (tema de Nélio e Estela)


FIQUE UM POUCO MAIS - Rosana (tema de Maurício e Zoraide)


Internacional


01. YOU AND I - Rick James
02. GREASE - Mike Brook
03. YOU MAKE ME FEEL (MIGHTY REAL) - Sylvester
04. YOUR LOVE - Danny Shann (tema de Estela)
05. KEEP ON JUMPIN' - Musique
06. WHEN YOU'RE LOVED - Debbie Boone (tema de Bruno e Helena)
07. LOVE NOW, HURT LATER - Giorgio & Chris
08. YOU - Rita Coolidge (tema de Betinha)
09. DO OR DIE - Grace Jones
10. I WILL STILL LOVE YOU - Stone Bolt (tema de Beatriz e Geraldo)
11. LA BOOGA ROOGA - Bjorn Skifs (tema geral)
12. PLACES - Steve McLean (tema de Cris e Rodrigo)
13. THEMES FROM THE WIZARD OF OZ - Meco
14. QUE HAY QUE HACER PARA OLVIDAR - Danny (tema de Teca e Renato)


I WILL STILL LOVE YOU - Stone Bolt (tema de Beatriz e Geraldo)

Ações de merchandising em “Passione” custam cerca de R$ 950 mil


Mesmo com audiência inferior às suas antecessoras, “Passione” continua rendendo altas cifras pJustificarara a TV Globo. Por tabela, cada ação de merchandising da novela custa cerca de R$ 950 mil, bem mais que um tradicional comercial de 30 segundos, que sai por cerca de R$ 450 mil.

O motivo para a cobrança de um valor mais alto se deve ao fato de que as ações de merchandising em meio às cenas registram mais audiência que a das campanhas publicitárias nos intervalos comerciais, segundo disse o Na Telinha.

Além da emissora, no merchan, o autor e o ator envolvido na ação também ganham um percentual. A estimativa é de que os anunciantes paguem cerca de 15% do valor total da ação ao ator, que irá interagir com o produto, e ao autor, que irá escrever o texto da cena.

Com cerca de cem capítulos já exibidos, “Passione” acumulAdicionar imagema 11 contratos de merchans, que variam seus valores de acordo com o conteúdo, formato, duração e frequência. Devido a isso, existem ações que custam menos que R$ 950 mil e outras que chegam a superar R$ 1 milhão.


Mesmo com audiência inferior às suas antecessoras, “Passione” continua rendendo altas cifras para a TV Globo. Por tabela, cada ação de merchandising da novela custa cerca de R$ 950 mil, bem mais que um tradicional comercial de 30 segundos, que sai por cerca de R$ 450 mil.

O motivo para a cobrança de um valor mais alto se deve ao fato de que as ações de merchandising em meio às cenas registram mais audiência que a das campanhas publicitárias nos intervalos comerciais, segundo disse o Na Telinha.

Além da emissora, no merchan, o autor e o ator envolvido na ação também ganham um percentual. A estimativa é de que os anunciantes paguem cerca de 15% do valor total da ação ao ator, que irá interagir com o produto, e ao autor, que irá escrever o texto da cena.

Com cerca de cem capítulos já exibidos, “Passione” acumula 11 contratos de merchans, que variam seus valores de acordo com o conteúdo, formato, duração e frequência. Devido a isso, existem ações que custam menos que R$ 950 mil e outras que chegam a superar R$ 1 milhão.

Claudio Lins fará minissérie da TV Brasil


Cláudio Lins já tem novo trabalho na telinha. Após finalizar as gravações de “Uma Rosa com Amor”, no SBT, o ator resolveu não renovar contrato com a emissora e acertou seu ingresso na minissérie “Natália”, da TV Brasil, que está sendo rodada há três semanas no Rio de Janeiro.

Em entrevista ao jornalista Giovani Lettiere, Cláudio revelou que a nova minissérie terá 13 capítulos. “Eu faço o Otávio, que trabalha como booker de uma agência de modelos. É ele quem descobre o talento da modelo Natália, que empresta seu nome para a minissérie, que está sendo gravada em película, como no cinema”, adianta.

Segundo o Na Telinha, a história será protagonizada pela atriz Aisha Jambo, de 24 anos, que participou de tramas como “Paraíso”, “Mad Maria”, “Cabocla” e “Malhação”. As gravações da minissérie “Natália” deverão durar cerca de dois meses.

Com 15 anos de carreira, Cláudio Lins, que é filho da também atriz Lucinha Lins e do cantor Ivan Lins, participou de várias produções na telinha, como “História de Amor”, “Chiquinha Gonzaga”, “As Filhas da Mãe”, “Sabor da Paixão”, “Esmeralda” e “Uma Rosa Com Amor”, as duas últimas no SBT.

Dramaturgia do SBT já trabalha intensamente para “Corações Feridos”


“Corações Feridos”, próxima novela do SBT, já é uma realidade na emissora e começa a chamar atenção nos bastidores da Anhanguera. Com o mesmo esquema de produção dos títulos anteriores, a equipe em breve abrirá uma boa margem no trabalho. Este esquema tem seu lado positivo e suas desvantagens. O método da dramaturgia do SBT evita alguns exageros no orçamento, mas distancia o autor da reação do telespectador e dos ajustes necessários. A autora já entregou 60 capítulos, sendo que a equipe já gravou cenas aleatórias em externas e estúdio para 50 episódios.

“Corações Feridos” é uma adaptação de Íris Abravanel para o folhetim “La Mentira”, de Caridad Bravo Adams. A história acontece no interior, onde o jovem fazendeiro Eduardo (Flávio Tolezani) se divide entre a administração das propriedades da família e o conturbando relacionamento com Amanda (Patrícia Barros). Ele acredita que a garota matou seu irmão, Rodrigo Sotelli (Paulo Zulu). Ele era noivo de Aline Almeida Varela (Cynthia Falabella), a vilã da trama. Íris Abravanel pretende incluir a discussão de alguns temas atuais, como a violência urbana, tráfico de drogas e roubo de carros. A trilha sonora será repleta de sucessos sertanejos e os figurinos apostam na mistura das modas rurais e urbana. Adriana Lessa, Elaine Mickely, Blota Filho, Jacqueline Dalabona, Iara Jamra e Antônio Abujamra são alguns dos artistas que participam de “Corações Feridos”.

A novela estreia no dia 8 de novembro e ocupará a faixa das 20h15.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Gente com pressa


A Oi TV está selecionando casais que se conheceram no site ParPerfeito para fazer as chamadas da série “Status solteira”.

O programa conta a história de uma mulher e sua busca online pelo grande amor antes dos 30.

Audiência de terça (07/09)


Sinhá Moça - 23

Malhação - 22

Escrito nas estrelas - 28

Ti-ti-ti - 33

Passione - 37

A cura - 16

Pérola negra - 5

Esmeralda - 5

Canavial de paixões - 5

Ana Raio e Zé Trovão - 8

Os mutantes - 6

Ribeirão do Tempo - 12

Araguaia: Segunda chamada

Araguaia: Janaína é uma viúva que trabalha duro para criar o filho


Em Araguaia, a nova novela das seis que estreia em setembro na Rede Globo, ninguém mexe com Janaína (Suzana Pires). Pois se tem uma coisa que essa bela viúva aprendeu com o tempo foi a impôr respeito. A viuvez foi a responsável por exigir desta mulher uma nova maneira de se relacionar com o mundo, afinal ela perdeu o marido, Bento, muito cedo.

Janaína precisava ter forças para criar o filho, Bruno (Luciano Scalioni), e sobreviver tirando o sustento de um simples armazém de sua propriedade. Para tocar o pequeno negócio a viúva conta com a ajuda da irmã, Nancy (Mariana Rios), além de Bruno, um excelente menino do qual não se pode reclamar.

Por outro lado, Nancy é o oposto do sobrinho. Vaidosa e preocupada em conseguir um bom partido para se casar, a jovem vive de mal com o trabalho. Janaína é uma mulher de fibra. Envolvida com as lutas e reivindicações da comunidade onde vive, a comerciante não teme enfrentar Max (Lima Duarte), um fazendeiro que não tem escrúpulos quando defende seus interesses.

Mas a sensual viúva não consegue controlar tudo o que acontece ao seu redor, como os apuros criados pelo coração. Desde que Bento morreu, Janaína nunca mais viveu nenhum outro amor. Ela ainda preza pelo luto ao marido. As razões para esta decisão se confundem com o medo de enfrentar um novo relacionamento e o compromisso com o trabalho e a família. Mas depois de conhecer e se aproximar de Frederico (Raphael Viana), Janaína terá que lidar com sentimentos surpreendentes e conflitantes. Os dois não têm muito em comum, afinal ele é um jovem de família rica que já circulou pelo mundo e ela, uma mulher simples, que jamais se distanciou da região do Araguaia.

Araguaia é uma novela de Walther Negrão com direção de núcleo de Marcos Schechtman, direção-geral de Marcos Schechtman e Marcelo Travesso e direção de Fred Mayrink, Luciano Sabino e Alexandre Klemperer.

Os atores mirins Cadu Pachoal e Laura Barreto são órfãos em Araguaia


Os atores mirins Laura Barreto e Cadu Paschoal voltam a trabalhar juntos em Araguaia, nova novela das seis da Rede Globo que tem estreia prevista para setembro.

Sucesso em Caminho das Índias como o dalit Hari e a pequena Lalit, os atores já começaram a gravar cenas de seus personagens, Pedro e Madalena, dois órfãos criados por Padre Emílio (Otávio Augusto) e alunos de Estela (Cleo Pires).

Milena Toscano, Murilo Rosa, Thiago Fragoso, Regina Duarte (em participação especial), Edson Celulari, Júlia Lemmertz, Lima Duarte, Mariana Rios, Suzana Pires, Raphael Viana, Emílio Orciollo Netto, Raquel Villar, Cinara Leal, Nanda Lisboa, Thais Garayp, Nando Cunha, Eduardo Coutinho, Gésio Amadeo, Paula Pereira, Tânia Alves, Maria Joana Chiappetta, Aninha Lima, Thiago Oliveira, Ângelo Antônio, Flávia Guedes, Yunes Chami e Turíbio Ruiz são alguns nomes da novela.

Araguaia é uma novela de Walther Negrão com direção de núcleo de Marcos Schechtman, direção geral de Marcos Schechtman e Marcelo Travesso e direção de Fred Mayrink, Luciano Sabino e Alexandre Klemperer.

Globo.com faz especial sobre Capítulo 100 de Passione


Noveleiros de plantão já sabem: as tramas tradicionalmente trazem grandes revelações por volta do capítulo 100, ou seja, perto da metade da novela. Com Passione, que é cheia de mistérios, não está sendo diferente. A família de Totó (Tony Ramos) veio para o Brasil, Clara(Mariana Ximenes) acabou denunciada e Fred (Reynaldo Gianecchini) perdeu a procuração que lhe dava poder na Metalúrgica Gouveia… Vocês pensam que acabou? Agora é que o circo vai pegar fogo! Para comemorar esse momento, criamos uma programação especial que você só acompanha por aqui, no site oficial de Passione. Teremos contagem regressiva para o centésimo capítulo, festa da equipe e ainda outra novidade: você, internauta, terá a chance de entrevistar elenco e o autor Sílvio de Abreu.

Nas comunidades sobre Passione nas redes sociais da internet, fãs já fazem suas apostas sobre quem será a próxima vítima e quem será o assassino. Nem o mocinho, Mauro (Rodrigo Lombardi) ou a heroína Diana (Carolina Dieckmann) escapam… Há quem acredite que ele é um lobo em pele de cordeiro, há quem veja na jornalista uma investigadora disfarçada. Será? Em entrevista ao site, Sílvio de Abreu afirmou que em breve será revelado que Eugênio (Mauro Mendonça) não morreu de infarto, mas por envenenamento. Em outra ocasião, ele adiantou que o segredo de Gerson não é nada do que se especula. E você, o que acha? Quer mandar sua pergunta sobre as próximas revelações de Passione? Essa é a sua chance! Basta acessar o Twitter e mandar sua pergunta respondendo para @passioneoficial.

Não há santos, nem vilões em Passione. E nem público.


Após o primeiro mês mais interessante que uma telenovela de horário nobre já mostrou ao telespectador, Passione chega neste semana ao seu centésimo capítulo – praticamente a metade de seus 221 previstos – com uma Campanha de relançamento da trama que, a partir de agora, deixa o tom colorido, ameno e apaixonado e passa a ser de thriller.

Mais do que simplesmente relançar o folhetim para situar o telespectador, a intenção da Rede Globo é agregar público, uma vez que, até o momento, a trama de Sílvio de Abreu não atraiu a audiência esperada. Com apenas 33 pontos de média parcial – a pior da história entre as novelas das 8 – a novela tem sido, queira ou não, um retumbante fracasso em termos numéricos.

Explicar estes números não é tarefa fácil. Partindo do pressuposto que o telespectador se interesse em maior ou menor intensidade por uma história atraente, a audiência de Passione é inexplicável, já que sua história é muito superior a de suas antecessoras Caminho das Índias e Viver a Vida. Há ganchos importantes, histórias envolventes, núcleos interligados e as histórias avançam com a agilidade necessária para não deixar monotonia na tela.

Em contrapartida, não é uma novela perfeita. Nem de longe. Sílvio de Abreu, maior dramaturgo vivo na opinião deste blog, responsável por folhetins sensacionais como Belíssima, Guerra dos Sexos e A Próxima Vítima, não acertou inteiramente a mão em seu trabalho atual. É bem verdade que, muitos dos erros da novela não são de responsabilidade do autor, mas ele também tem sua parcela de contribuição.

Uma novela no atual momento da TV brasileira sem vilanices não tem como funcionar. E é isso que Passione é, uma trama sem vilanices. Há vilões? Há. Mas Fred (Reynaldo Gianecchinni) e Clara (Mariana Ximenes) há muito deixaram de cometer atos de vilões e passaram a viver de ameaças, empurrões, olhares, planos. Prática? Que nada, eles latem, latem, mas nunca mordem.

A maior prova do equívoco nas histórias dos vilões se dá no momento atual da trama em que Clara foge da polícia tentando se safar e Fred foi enganado feito um paspalho por Totó (Tony Ramos). Que raios de vilões são esses que são enganados por todos o tempo todo? Isso não tinha como funcionar mesmo.

Passione também conta com a falta de um romance que atraia o público. Diana (Carolina Dieckman) e Mauro (Rodrigo Lombardi) até que tentam isso, mas não conseguem empolgar ninguém. A total falta de química do casal na história faz com que boa parcela dos telespectadores torça para o fim do relacionamento que tem tudo para não funcionar.

Entre cenas geniais, histórias interessantes, ganchos inteligentes e uma pitada perfeita de humor, que torna a trama muito boa, Passione segue com estes defeitos que afasta o público mediano. E também afasta o público mais tradicional, afinal, ninguém na história tem senso de escrúpulos. É como se estivéssemos assistindo a uma história em que os personagens não receberam educação e não tem noção de moral e ética. Ali todos agem conforme a música manda. São falsos, mentirosos, armam para a família, enganam, roubam e fazem qualquer coisa para se darem bem. Todos, de Saulo, Fred e Clara, a Bete, Toto, Mauro e Diana. Não há santos em Passione e, por isso talvez, não há público para Passione.

Em “Passione”, Fred surpreende Bete ao voltar à metalúrgica


Fred (Reynaldo Gianecchini) vai surpreender Bete (Fernanda Montenegro) ao voltar à metalúrgica como representante dos acionistas, em “Passione”.

No dia da reunião que vai eleger o novo presidente, (Mayana Moura), Saulo (Werner Schünemann) e Bete aguardam a chegada dos acionistas. Em seguida, Fred chega informando que representa os acionistas e deixa todos perplexos.

O vilão dispara: “Surpresa dona Bete? Aposto que sou a última pessoa que a senhora esperava ver na assembleia…”. Bete fica chocada: “Você não pode estar representando os nossos acionistas”, diz.

As cenas vão ao ar nesta quarta-feira, dia 8, em “Passione”.

SESSÃO ABERTURA: Pão Pão Beijo Beijo

Insensato Coração: Arósio será disputada por Fábio Assunção e Eriberto Leão


Os irmãos Pedro e Léo, vividos por Fábio Assunção e Eriberto Leão, respectivamente, disputarão o coração da designer Marina, interpretada por Ana Paula Arósio, em “Insensato Coração”, a substituta de “Passione”, escrita por Gilberto Braga, com estreia prevista para janeiro.

Segundo o jornal “O Dia” desta quarta-feira (8), os dois garotos serão filhos dos personagens de Antônio Fagundes e Natália do Valle.

Como já foi divulgado anteriormente, Assunção deve fazer o papel do vilão da trama, relembrando os bons tempos de “Celebridade”, quando o bonitão interpretava o inescrupuloso Renato Mendes.

REVIEW: A Cura – 1 X 05


“Há mais mistérios entre o céu e a Terra do que supõe a nossa vã filosofia”. A frase imortalizada por William Sheakespeare na peça Hamlet serve como base para o extraordinário 5º episódio de A Cura e mostra que, quando uma obra tem como mente o improvável João Emanuel Carneiro, nada é o que parece e não há como se prever qualquer seqüência de acontecimentos.

O episódio exibido na última terça-feira, além de fazer com que a história avançasse bastante em relação a respostas sobre a seqüência de acontecimentos anteriores a chegada de Dimas (Selton Melo) em Diamantina. Tudo que girava em torno do curandeiro Otto (Juca de Oliveira) e Edelweiss (Inês Peixoto) era muito sombrio e sem respostas até a metade da série e foi neste episódio que as respostas começaram a chegar ao telespectador.

Tão surpreendente para Dimas saber que sua mãe, Margarida (Nívea Maria) teve envolvimento amoroso com Otto também foi para o público, afinal, a personagem não é apenas dona de uma loja que vende imagens de Santos católicos, mas é uma devota fervorosa da fé cristã. A cena em que o filho surpreende a mãe com fotos comprometedoras e que ela revela ter tido um caso com o curandeiro é densa, cheia de tensão e com alto nível de atuação da dupla.

Mais do que respostas sobre o mistério em torno de Otto, o episódio 5 de A Cura serviu também para mostrar que há um elo forte, invisível, mas inquebrável entre Dimas e seu primeiro amor, Rosângela (Andréia Horta) e o companheirismo, fidelidade e cumplicidade dos dois, aparentemente, é a única coisa moral, ética e respeitada em toda a história cujos personagens parecem não temer esconder seus segredos e muito menos jogar toda a sujeira de suas vidas para debaixo do tapete.

O grupo de pessoas que até então parecia irrepreensível, foi mostrado como perverso. Por que afinal Turíbio (Ary Fontoura), Antônio (Ferrúcio Verdolin) e suas esposas ocultam tanto a história por trás do curandeiro assassinado antes dos filhos nascerem? A confissão de Antônio a seu filho Luiz Camilo (Caco Ciocler) de ter mandado matar Otto não causou mais estranheza ao telespectador, pois tudo caminhava para isso. Mas e o motivo? Qual o motivo?

No desencontro de eras, o episódio mostrou o grau de crueldade Silvério (Carmo Della Vecchia) que, no desespero para receber a cura do menino Ezequiel, foi capaz de comprar o pobre garoto, vendido covardemente pelo próprio pai. Além disso, seria realmente Silvério capaz de ultrapassar os limites do tempo e surgir no presente para assassinar Edelweiss como acusou Carlindo (Jackson Antunes)? Como explicar isso?

Num dos momentos mais emocionantes, cheios de meandros e respostas sem palavras, A Cura, mostrou novo momento de curandeirismo de Dimas. Convencido por Rosângela, o médico aceita operar espiritualmente Carlindo e o momento da “cirurgia” foi tenso, profundo e cheio de expectativas. Novamente destaque para a atuação de Selton Melo.
Quando tudo parecia realmente caminhar para que Dimas de fato fosse a reencarnação de Otto que, aparentemente já era a reencarnação de Ezequiel, como Ciro (Rogério Marciclo) afirmou para a filha: “Aceite de uma vez que você gerou um curandeiro”, o público é surpreendido com uma revelação bombástica e que muda completamente os rumos da série. O episódio termina com Ciro enigmático, entrando numa casa, aparentemente vazia e abandonada e encontrando-se nada mais nada menos com Otto, vivo e feliz em rever o amigo. Se Otto está vivo, por que todos mentem? João Emanuel Carneiro e seu brilhantismo deixaram o telespectador abismado diante da tela da TV e sem saber mais nada sobre a série e, com mais perguntas, do que a primeira temporada de Lost, fora capaz de produzir.

Este episódio de A Cura veio para mostrar que João Emanuel Carneiro é, de fato, o melhor autor de sua geração, e o melhor dramaturgo brasileiro da atualidade. Após conseguir inovar nas telenovelas com A Favorita, ele consegue, ao menos até o momento, produzir uma série de roteiro impecável e que está anos-luz a frente de qualquer produção brasileira. Esperemos que as respostas sejam tão surpreendentes quanto as perguntas que a série produz.

Em tempo: O 5º episódio de A Cura registrou média de 16 pontos com picos de 18, segundo a prévia.

REVIEW: A Cura - 1X04


E pensar que já se foi metade da excelente primeira temporada - e infelizmente provavelmente a única - de A Cura. O episódio que dividiu exatamente a metade da série mostrou-se o menos maduro, porém, o mais rico em acontecimentos, aventuras e principalmente em conflitos dramatúrgicos que um bom produto televisivo necessita para atrair a audiência.

Após 04 semanas em que o público se viu envolto a um roteiro complexo e, aparentemente sem fios condutores para uma história única, o que começa a ganhar vida é um quebra cabeças muito bem estruturado e que faz total sentido, mais do que simplesmente fazer sentido, é auto-explicativo. Personagens soltos, histórias paralelas que não pareciam ter nenhuma ligação e passado e presente finalmente se encontrando, foram estes os principais focos do episódio de número 04.

Após Dimas (Selton Melo) se descobrir realmente um curandeiro e retornar a Diamantina, o que parecia por si só um evidente sinal de que ele estava disposto a cumprir seu destino, mostrou-se na verdade, mais um momento de profunda confusão e indecisão neste intrínseco roteiro que é sua vida. O médico optou por ouvir os conselhos de Turíbio (Ary Fontoura) e seguir apenas sua profissão de médico. Porém, o destino parece conspirar contra isto e em favor das curas espirituais, pois novamente ele curou uma pessoa praticamente contra sua vontade. A cena em que ele cura a moça acidentada (sem saber que ela tinha leucemia) foi uma das mais bem estruturadas do ano na TV brasileira, apenas pelo olhar de Selton Melo que realmente deu a Dimas um ar de 'possuído' naquele momento, mostrando ser mesmo o maior ator brasileiro de sua geração.

Por outro lado, se torna cada vez mais claro que todos os personagens mais antigos e que vivem em Diamantina guardam segredos terríveis. Todos eles escondem a sete chaves o destino de Oto (Juca de Oliveira) e tudo de podre que houve por trás desta história. O diálogo entre Turíbio e Margarida (Nívea Maria) durante o enterro de Edelweiss (Inês Peixoto) foi interessante, mas causou mais perguntas do que respostas.

Enquanto isso, o passado começa a se ligar ao presente. Silvério (Carmo Dalla Vechia) descobriu o curandeiro mirim e, aparentemente, irá tentar ser curado da maldição indígena. Vale lembrar que em 1768 - tempo em que vive Silvério - o menino realizava curas espirituais usando instrumentos médicos que foram utilizados no presente por Oto e, atualmente, pertencem a Dimas. Já no presente, o senhor que estava na CTI no momento em que Edelweiss foi assassinada conseguiu contar a Dimas e Rosângela (Andréia Horta) que alguém esteve presente no local, e desenhou um chapéu - chapéu este utilizado por Silvério.

Como se vê, o excelente 4º episódio de A Cura trouxe ligações, elos e muitas dúvidas para o telespectador. Mostrou dois fatores muito importantes: Dois objetos tornaram-se fundamentais em busca pelas respostas, o chapéu e os instrumentos cirúrgicos. O outro fator é ligado a estes instrumentos. Seria de fato Dimas a reencarnação de Oto que por sua vez, já seria a reencarnação do pequeno curandeiro de 1768 ou o poder de cura está relacionado apenas aos objetos?

Além de nos brindar com outro episódio acima da média, João Emanuel Carneiro ainda se permitiu encerrar a metade da temporada com o gancho mais espetacular de 2010 colocando Dimas frente a frente com sua mãe num questionamento que todos fizemos: "Qual a relação de Oto com ela? Seria Oto pai de Dimas?"

REVIEW: A Cura - 1X03


Escrever sobre A Cura não é tarefa fácil. Desde o episódio piloto se soube que a série escrita pelo ótimo João Emanuel Carneiro para a Rede Globo seria extremamente complexa e não tão simples de se compreender como a maioria dos produtos da teledramaturgia brasileira.

A proposta de João Emanuel foi apresentar ao público um novo modelo de dramaturgia nacional. Portanto, ao assistir cada um dos episódios é preciso que o telespectador tenha em mente que não está vendo um produto meramente brasileiro e, a premissa fundamental para acompanhar a série é despir-se de qualquer pré-julgamento em comparação aos outros produtos televisivos disponíveis no mercado nacional.

Conseguindo isso, é possível sentar-se e deleitar-se diante de um produto iluminado. A TV brasileira passa por um momento histórico e não necessariamente em repercussão e menos ainda em audiência - principalmente em virtude do horário de veiculação, já que começa as 23h30 por causa do Horário Eleitoral Gratuito - mas no formato e na qualidade.

O 3º episódio exibido na última terça-feira retratou a diferença fundamental de A Cura para todas as outras produções nacionais. Como público estamos acostumados a produtos mais rasos - não necessariamente ruins - e com histórias bem desenvolvidas e nada complicadas de se entender. Por mais que o modelo pareça complicado para as personagens, para o público é sempre fácil acompanhar. Não é o que se vê na excepcional série de JEC.

Após um episódio piloto de apresentação, e um 2º episódio em que o público conheceu a fundo a história de Dimas (Selton Melo) e começou a ficar dividido com os mais diversos sentimentos conflituosos do personagem, A Cura nos brindou com um novo episódio e completamente diferente dos demais. Na prática, não houve nada de importante nas cenas vistas durante todo o episódio, porém, ao analisar mais profundamente, este foi o mais importante e com mais revelações até o momento.

A complexidade dos sentimentos de Dimas foram vistos nas cenas em que ele se leva pela opinião de terceiros e não se aceita como é. Em contrapartida, vemos também o desenvolvimento da história paralela, que acontece no ano de 1728 e que, até então tinha como única ligação com a história principal, o fato de também girar na cidade de Diamantina-MG. Agora já há um laço mais profundo, afinal, fomos apresentados no fim do episódio a Ezequiel, um adolescente que realizava já naquele ano curas milagrosas com o mesmo equipamento médico - principalmente o bisturi - que o tal curandeiro Oto (Juca de Oliveira) usou e que Dimas também vem utilizando. Uma ligação e forte.

Além do que, as cenas mostradas nesta realidade foram bem fortes, com Carmo Dalla Vecchia caracterizado profundamente como um homem doente, tomado de uma maldição lançada por um índio e que sofre por conta disso. Palmas aos maquiadores da Globo por conseguirem tamanha perfeição.

Mas o 3º episódio de A Cura teve como foco principal esteve o tempo todo em Rosângela (Andréia Horta) que decidiu a todo custo provar que Dimas cursou Edelweis (Inês Peixoto) através da cirurgia espiritual. Vemos cenas muito bem escritas e ricas em intrepretação. Quem assiste a série e vê a personagem Rosângela conversando tem certeza que a própria atriz fala daquela forma, como um típica mineira. O retorno de Andréia Horta para a Globo tem sido triunfal.

Após o episódio de terça-feira, um telespectador desatento, desapegado e desinteressado pode ter suspirado e pensado: "O pior episódio entre os três", mas foi o oposto. Este foi o episódio em que tudo começa a fazer sentido e ganhar novas dimensões em A Cura.

REVIEW: A Cura - 1x02


Após um primeiro episódio de apresentação bastante complexo, porém cheio de nuances aprofundados e com seqüências ágeis, principalmente a partir da metade do episódio Piloto, a série global A Cura, de João Emanuel Carneiro teve seu 2º episódio exibido na última terça-feira e mostrou uma história bem construída, com uma narrativa contida e cheia de elementos complexos.

Se o primeiro episódio apresentou personagens e mostrou um mapa da história que seria contada, o segundo episódio mostrou uma veia diferente do autor que, ao contrário de todos os outros trabalhos, optou por uma narrativa mais lenta, porém muito mais aprofundada e complexa. Ao terminar o episódio desta semana o telespectador ficou com uma certeza: não é fácil entender a construção narrativa de A Cura.

Personagens extremamente complexos, com traços de personalidades que nem sempre combinam entre si, além de um roteiro que apresenta uma história não linear, indo contra toda a idéia de narração, e situações que sempre apresentam diálogos extremamente complexos foram marcos nesta semana. Ninguém é apenas o que parece ser. Dimas é um personagem tortuoso com uma história de vida complicada e muito sofrida, porém, o misticismo que gira em torno dele, a possibilidade de ser a reencarnação de um curandeiro e os conflitos que o perseguem, deixam-no extremamente sombrio em alguns momentos e cada texto que sai de sua boca vem com diversos significados e que podem tanto ajudar quanto complicar a interpretação do público.

Além disso, a história que corre paralelamente e mostra um personagem mau e que vive em outra época, porém na mesma cidade, torna tudo mais complexo. Afinal, qual a ligação entre ele e os dias atuais, onde de fato ocorre a história? Em que ponto da história as narrativas se encontrarão e formarão o elo? Essa é a pergunta que não sai da cabeça do telespectador e mantém o interesse constante pela história que é novidade no mundo das séries e um chamariz muito inteligente.

Não se pode abandonar ainda a interpretação de qualidade de todo o elenco. Se em 2009 a Globo surpreendeu ao mostrar uma série com formato teatralizado e um elenco perfeito com Som e Fúria, em 2010 a qualidade de elenco se repete em A Cura com todos muito afinados, inclusive o excelente elenco de atores mineiros. Porém, destaque mesmo para Selton Melo que vem fazendo um trabalho extraordinário, acima de qualquer comparação no ano.

A profundidade de A Cura a distancia completamente do modelo de dramaturgia da TV brasileira. O público foi acostumado a narrativas simples e histórias rasas, portanto, pode ocorrer que alguns telespectadores se afastem confusos. Porém, é esta a profundidade que falta para a TV e que leva muitos espectadores a procurarem produtos importados como as séries americanas. E em matéria de profundidade, complexidade e roteiro bem amarrado e intrigante, A Cura não fica atrás de nenhuma delas.

TELETEMA: Desejos de Mulher

REVIEW: A Cura - 1x01


Após dois anos e meio de expectativa o autor que revolucionou a forma de se fazer televisão na atual década retornou ao cenário na noite desta terça-feira. Trata-se de João Emanuel Carneiro, rei do horário das 7 ao conquistar audiências impressionantes com Da Cor do Pecado e Cobras e Lagartos e o mais jovem autor a ser elevado ao posto de exclusivo do horário nobre de novelas com a excelente A Favorita.

Desta vez, João Emanuel assina uma série. A Cura. Badalada muito antes de estrear, muito por conta do nome por trás do produto e também por ter o retorno de um dos maiores atores brasileiros que há muito se dedicava ao cinema, Selton Melo. Tanto se falou da série que a expectativa ficou quase insuportável, principalmente após iniciarem as chamadas durante os intervalos da Rede Globo.

Foi muita espera, mas valeu a pena. João Emanuel Carneiro mostrou no episódio de estréia que é capaz de se despir completamente dos vícios e linguagem de um novelista e escrever um roteiro de uma série de verdade. Sem seqüências ou diálogos folhetinescos a série mostrou toda uma estrutura seriada, coisa que a Globo busca há muito tempo e raramente consegue com suas produções que sempre caem no tom jocoso das novelas.

Em A Cura, Selton Melo é Dimas. Um jovem médico que retorna a sua cidade natal, Diamantina (MG) para trabalhar em sua profissão, porém, não será fácil, pois os fantasmas do passado o perseguem. Na infância, uma história mal resolvida dá conta de que Dimas foi responsável pela morte de um amiguinho da escola. Ninguém na cidade esqueceu o ocorrido mesmo sendo muitos anos depois e, no episódio piloto não há afirmações de como ocorreu o provável crime, apenas indícios de que o protagonista cortou o amigo em diversas partes.

A forma como esta história foi mostrada ocorreu de forma lenta e gradativa neste episódio. O telespectador foi se familiarizando muito mais com a personalidade dúbia e confusa do protagonista do que propriamente com o histórico de sua vida. A estratégia do autor, apesar de ser um risco porque poderia tornar tudo monótono, funcionou e levou o público a se interessar pelo drama do jovem médico.

Esta não é a história de A Cura. Este é o pano de fundo para a história principal. Ao que parece, Dimas é a reencarnação de um outro médico. Oto. Que viveu na década de 80 em Diamantina e realizava curas milagrosas nas pessoas. Dimas, aparentemente, conta com o mesmo dom e, por isso, sofre perseguições e vive de forma tão confusa. Para deixar tudo isso ainda mais complexo, o autor nos leva de volta ao tempo em 1766 e mostra a história de um personagem cruel, violento e mau, disposto a tudo para enriquecer através dos diamantes na terra de Diamantina. Já na estreia vimos o personagem defendido por Carmo Dalla Vechia matar o "compadre" pelas costas e cortar a língua de um escravo.

Como é marca registrada de João Emanuel Carneiro, em A Cura, tudo acontece muito rapidamente, portanto, não há tempo para diálogos superficiais e situações que tapam buraco no tempo. Todas as cenas foram muito importantes neste episódio de estréia e serviram para explicar o complexo quebra-cabeças que viaja no tempo e mistura medicina com curanderismo, fé e dramaticidade, tudo em um mesmo caldeirão de muita qualidade.

Se João Emanuel Carneiro é capaz de inovar em novelas, ele provou neste episódio que também o é em séries. Texto primoroso e diálogos complexos, e muitas vezes que passavam desapercebidos pelo telespectador menos atento. Assistir A Cura, aparentemente, será um exercício mental que exigirá muita atenção para ligar tantos pontos que parecem soltos, mas que claramente se unem em determinado ponto da história. Mais do que isso, na série, João Emanuel Carneiro vai ainda mais longe do que já havia ido em A Favorita, quando criou protagonista e vilã que ninguém sabia ser quem. Agora, JEC resolveu criar uma história não-linear no melhor estilo Machado de Assis. E com competência.

Destaque também para a coragem do autor, que já havia dado uma "banana" para o Ministério Público em A Favorita. A Cura mostrou cenas fortes e que raramente são vistas na TV brasileira, mas tudo com o bom gosto e qualidade que são marcas registradas do excelente diretor Ricardo Waddington. Graças a ele, o genial texto tomou forma e foi muito bem construído na tela.

No elenco, não houve destaques negativos, exceção feita a Carmo Della Vechia que não convenceu ainda como o provável vilão da história - se é que seja possível uma história não linear ter um vilão - porém, o grande destaque fica por conta de Selton Mello que, em poucas cenas já mostrou ser realmente um dos grandes atores do Brasil. Uma composição primorosa de seu personagem Dimas e, apenas com um olhar, ele é capaz de transmitir toda a sensação que a cena exige. Um baita talento.

Após este primeiro episódio que, trouxe de volta os geniais ganchos de João Emanuel Carneiro, a sensação do telespectador é de "que chegue logo a próxima terça" porque esperar mais sete dias para assistir novamente A Cura, não será fácil. E, de novo, João Emanuel Carneiro prova que é possível fazer televisão de qualidade.

Em tempo: A Cura estreou com 19 pontos de média, segundo a prévia, com um excelente pico de 22 pontos. Estreou registrando 02 pontos a mais na média que sua antecessora, Na Forma da Lei.

Passione: Lurdinha se encanta com Mimi e começa a falar


De acordo com a coluna Telinha, do jornal Extra, o público descobrirá em breve o motivo de Lurdinha (Simone Gutierrez) sempre ser interrompida quando tenta falar algo em Passione.

A secretária se revelará uma verdadeira tagarela assim que abrir a boca pela primeira vez na trama.

Isso acontecerá quando ela conhecer Mimi (Marcelo Médici), na antiga casa de Olavo (Francisco Cuoco), seu patrão. Ela ficará aliviada por poder conversar com alguém que a deixa falar e que gosta de escutar. As cenas irão ao ar nos próximos capítulos de Passione.

Marcos Pasquim começa a gravar a próxima novela das sete


Apesar de estar programada para estrear apenas no primeiro semestre de 2011, a próxima novela das sete da Globo já teve suas primeiras cenas rodadas. Isso porque o diretor geral da história, Rogério Gomes, o Papinha, viajou com ator Marcos Pasquim para Marília, no interior de São Paulo, para registrar imagens do protagonista da trama de Walcyr Carrasco durante a colheita de café.

“É o que meu personagem, o Abner, vai ter uma fazenda de café. E como o período de colheita termina no começo de setembro, tivemos que viajar na semana passada para lá para gravar as cenas em que opero a máquina de café. Enfim, fomos mais para registrar as imagens”, explica Pasquim, acrescentando que a gravações do folhetim começam para valer no final de outubro.

“Ainda não temos nem texto. Por isso não tenho como adiantar muitos detalhes sobre o meu personagem”.

Cleo Pires e Murilo Rosa comandam coletiva de Araguaia


Num clima de muito otimismo e amizade, elenco, direção e técnica da novela Araguaia se reuniram na manhã desta quarta-feira (8), no Projac, Rio de Janeiro, para apresentar nova novela, que substituirá Escrito Nas Estrelas, na Globo.

Frutas cristalizadas e muitos doces de compota ajudaram a ambientar o cenário, onde o elenco recebeu a imprensa. Além disso, um belo clipe, com imagens exaltando a natureza goiana, encantaram a imprensa e os atores que estavam bastante compenetrados diante das primeiras cenas, que contaram com as atuações de Cleo Pires, Edson Celulari, Murilo Rosa, Milena Toscano, Suzana Pires e uma série de astros da trama escrita por Walther Negrão, que promete grandes emoções.

“Dormia pouco durante as gravações no Araguaia, agradeço à Regina Duarte e ao Edson Celulari pela participação, foram imprescindíveis. Estamos com qualidade de novela das oito”, disse o diretor Marcos Paulo.

Ambientada às margens do Rio Araguaia, em Goiás, a trama estreia dia 27 de setembro, com uma bela história de amor protagonizada pelos personagens de Milena Toscano e Murilo Rosa.

Taís Araújo interpretará Xica da Silva novamente


Pelo visto não será apenas “Roque Santeiro” que ganhará sua versão nos cinemas. Outro folhetim, agora fora da emissora carioca, também terá seu longa exibido por todo país. Trata-se de um dos sucessos da TV Manchete: a novela “Xica da Silva”.

De 1996, a trama trouxe a primeira protagonista negra das telenovelas brasileiras. Interpretada por Taís Araújo, a história se desenrolava em volta da protagonista Xica, uma escrava que se envolveu com homem rico e acabou virando rainha em pleno século XVIII.

O SBT também chegou a exibir o folhetim, assim como fez com “Pantanal”, “Dona Beija” e agora faz com “Ana Raio e Zé Trovão”.

Com a versão para os cinemas, Taís Araújo irá realizar novamente o papel que a consagrou no mundo da televisão. Outros atores que trabalharam na novela também serão contatados.

SESSÃO CHAMADAS: Araguaia

Globo enfrenta problemas de produção nos últimos capítulos de “Escrito nas Estrelas”


Segundo o portal O Planeta Tv!, a Globo estaria passando por problema para concluir os últimos capítulos da novela Escrito nas Estrelas, veja:

Restando pouco menos de três semanas para exibir o último capítulo de “Escrito nas Estrelas”, a Globo vem enfrentando problemas de produção. Há um atraso na entrega dos capítulos, e o folhetim tem pouca frente.

Globo, no entanto, diz que esses problemas são normais na reta final das novelas. O elenco, no entanto, reclama já que vem recebendo os capítulos em cima da hora.

O que é bom dura pouco – “Separação” chega ao fim


O anúncio do fim da temporada de “Separação?!”, no encerramento do programa de sexta-feira, mexeu com os leitores desta coluna.

Sérgio Leão, por exemplo, escreveu: “Quero manifestar minha indignação. Não posso entender que programas que tratam do humor com inteligência sem cair na mesmice tenham vida curta”. Este foi só um dos e-mails queixosos. Concordo com Sérgio.

Apesar de exibido num horário caveira-de-burro (sexta à noite, na segunda linha de shows), o seriado chama a atenção por seu humor requintado. Além disso, o público fica tocado pelo tema. Quem nunca odiou alguém com tanto entusiasmo?

Trata-se de um encontro de felizes variáveis. Primeiro, há o texto inspirado de Fernanda Young e Alexandre Machado, mesma dupla de “Os Normais”, novamente sob a direção de José Alvarenga, uma sintonia fina. E tem ainda “aquele” elenco.

Débora Bloch é uma das melhores atrizes de sua geração, mais experiente que Vladimir Brichta, seu par.

Nos primeiros episódios, havia um desnível entre os dois, talvez por causa dos anos de estrada dela. Porém, quanto mais Karen e Agnaldo iam brigando, mais foram convencendo o público de que são (ou foram) um casal. Esta diferença se resolveu.

O elenco secundário, aos poucos, também saiu das tramas periféricas. Muito justo: Kiko Mascarenhas (Delavega), Rita Elmor (Anete) e Cristina Mutarelli (Cinira) são muito bons e foram bem aproveitados. Esta “Separação?!” é um dos melhores casamento da TV com o humor.

Merece voltar.

Chuva faz Sinha Moça bater recorde de audiência


A chuva que pegou de surpresa os telespectadores em São Paulo, fez com que a novela Sinha Moça atingisse sua maior audiência desde sua estreia em Março deste ano.

De acordo com dados consolidados, nesta terça-feira (07/09), Sinhá Moça marcou média de 23 pontos e picos de 29. É o recorde da reprise, vale lembrar que Sinha Moça termina na próxima sexta-feira, 10.

Cada ponto equivale aproximadamente 60 mil domicílios na Grande São Paulo.

Atriz de ‘Malhação’ encarna loura má em série do Multishow


A ideia de fazer uma vilã sempre permeou os pensamentos de Sophia Abrahão. A paulistana até chegou a ensaiar algumas maldades na pele da engraçada Filipa de Malhação, personagem que interpretou no seriado da Globo por dois anos e meio, mas logo a estudante se regenerou. Agora, prestes a voltar ao ar na série Bicicleta e Melancia, no Multishow, a atriz experimentou o inverso. Escalada para protagonizar o projeto na pele da mocinha Diana, Sophia recebeu uma ligação do autor Rodrigo Nogueira três dias depois, descobrindo que haviam repensado e dado o posto para Vitória Frate, que viveu a rebelde Júlia Cadore em Caminho das Índias. “O Rodrigo disse que meu teste tinha sido ótimo e que queriam que eu fizesse a vilã. Achei ótimo”, vibrou.

Bicicleta e Melancia estreia dia 25 de outubro, às 18h45, e faz parte de uma leva de novas séries do Multishow direcionadas para o público jovem, como Morando Sozinho, Na Fama e Na Lama e a recente Open Bar. O projeto, impulsionado pelo sucesso que Beijo, Me Liga fez em 2009, conta com 20 episódios em sua primeira temporada. O formato, apesar de curto, até lembra o de Malhação. Tratam-se de exibições de segunda a sexta, ocupando meia hora da programação diária do canal por assinatura. “Vamos ficar um mês no ar. Mas tudo ficou tão bacana que todos estão torcendo por uma segunda temporada”, valorizou.

Na história, Gabi atrapalha os mocinhos Marco e Diana, vividos por Daniel Dalcin e Vitória. Diana é uma atriz que protagoniza a novelinha Demorô e Marco é um surfista descoberto por olheiros que, depois de alguns testes, é escalado para o papel de herói da trama. Gabi, percebendo o clima que começa a rolar entre os dois, faz de tudo para evitar que o namorado, agora famoso, a troque pela colega de cena. “Na verdade, a Gabi faz a história girar. Ela apronta daqui e dali, movimentando os capítulos”, analisou, satisfeita.

A equipe contou com um workshop de três semanas antes de começarem as gravações, que foram realizadas em julho. O estudo foi fundamental para que o elenco, repleto de jovens, pudesse se preparar para lidar com as gravações fora de qualquer ordem cronológica. “No terceiro dia, gravei as cenas finais da personagem. TV é assim mesmo, não tem a menor continuidade emocional. É se virar, manter a concentração e seguir em frente”, filosofou. Mas nem tudo foi fácil para Sophia. Depois de descobrir que faria cenas na praia, de biquíni, a atriz intensificou seu preparo físico com a ajuda de um personal trainner. De três vezes na semana, passou a malhar diariamente em seu prédio, na Barra, Zona Oeste do Rio. “Corro 20 minutos na esteira e, depois, vou para a musculação”, explicou.

Sophia fez alguns testes para as próximas novelas da Globo, mas ainda aguarda resposta da emissora. Até porque seu contrato com o Multishow não impede que ela participe de outros programas na TV aberta, mesmo durante a exibição de Bicicleta e Melancia. “Ainda não sei o que vai acontecer, mas estou confiante que alguma oportunidade vai aparecer”, torceu. Enquanto aguarda, Sophia segue com as apresentações do espetáculo Confissões de Adolescente, em viagem pelo país. Na peça, a atriz toca violão. “Acho curioso emendar tantos trabalhos mais direcionados para o público jovem. Até agora, vem combinando com a minha realidade”, opinou Sophia, que tem 19 anos.

Bicicleta e Melancia – Estreia dia 25 de outubro, às 18h45, no Multishow.

Araguaia: Bruna Marquezine vive a orfã Terezinha


Bruna Marquezine interpreta a jovem Terezinha em Araguaia, próxima novela das seis da Rede Globo, que tem estreia prevista para setembro.

Abadonada pelos pais, Terezinha será criada no orfanato de Padre Emílio (Otávio Augusto) e terá pavor de ser adotada. O último trabalho de Bruna Marquezine na emissora foi na novela Negócio da China, onde viver Flor de Lys.

Milena Toscano, Murilo Rosa, Thiago Fragoso, Regina Duarte (em participação especial), Edson Celulari, Cleo Pires, Júlia Lemmertz, Lima Duarte, Mariana Rios, Suzana Pires, Raphael Viana, Emílio Orciollo Netto, Raquel Villar, Cinara Leal, Nanda Lisboa, Thais Garayp, Nando Cunha, Eduardo Coutinho, Gésio Amadeo, Paula Pereira, Tânia Alves, Maria Joana Chiappetta, Aninha Lima, Thiago Oliveira, Ângelo Antônio, Flávia Guedes, Yunes Chami e Turíbio Ruiz são alguns nomes da novela.

Araguaia é uma novela de Walther Negrão com direção de núcleo de Marcos Schechtman, direção geral de Marcos Schechtman e Marcelo Travesso e direção de Fred Mayrink, Luciano Sabino e Alexandre Klemperer.

Bruna Marquezine interpreta a jovem Terezinha em Araguaia, próxima novela das seis da Rede Globo, que tem estreia prevista para setembro.

Abadonada pelos pais, Terezinha será criada no orfanato de Padre Emílio (Otávio Augusto) e terá pavor de ser adotada. O último trabalho de Bruna Marquezine na emissora foi na novela Negócio da China, onde viver Flor de Lys.

Milena Toscano, Murilo Rosa, Thiago Fragoso, Regina Duarte (em participação especial), Edson Celulari, Cleo Pires, Júlia Lemmertz, Lima Duarte, Mariana Rios, Suzana Pires, Raphael Viana, Emílio Orciollo Netto, Raquel Villar, Cinara Leal, Nanda Lisboa, Thais Garayp, Nando Cunha, Eduardo Coutinho, Gésio Amadeo, Paula Pereira, Tânia Alves, Maria Joana Chiappetta, Aninha Lima, Thiago Oliveira, Ângelo Antônio, Flávia Guedes, Yunes Chami e Turíbio Ruiz são alguns nomes da novela.

Araguaia é uma novela de Walther Negrão com direção de núcleo de Marcos Schechtman, direção geral de Marcos Schechtman e Marcelo Travesso e direção de Fred Mayrink, Luciano Sabino e Alexandre Klemperer.